' DOMINANTES DE VERDADE - DIÁRIO DE UM DOMINADOR - GLADIUS | BDSM, Fetiches e Relacionamentos

DOMINANTES DE VERDADE


Publicado em 20/01/2008

NOTA DO AUTOR
Essa era uma das questões recorrentes nos debates de mesa de bar temático nesses tempos. As pessoas submissas querendo saber dos dominantes como identificar bons parceiros.
Era e ainda é, pois nas minhas lives, palestras e consultorias, volta e meia essa pergunta renasce das cinzas, tal qual uma fênix.
No fim tudo se resume na maneira de ir na contra mão da dificuldade de se encontrar bons parceiros, coisa que é difícil em todos os tipos de relações humanas e que nos acompanha desde o momento em que começamos a interagir socialmente na infância.
Aqui foi a minha primeira tentativa de estabelecer alguns parâmetros que viessem a colaborar na busca de um parceiro dominante por uma pessoa submissa e nessa revisita, percebi que ainda é bem atual em muitos aspectos.

Uma coisa que ouço de forma recorrente é o termo dominante de verdade. Mas como definir exatamente uma verdade que é relativa?

O que são, quem são, como ocorrem e onde podem ser encontradas? 

Ao longo da minha vida observei que é fácil se "criar" uma pessoa submissa, pois estas em sua maioria têm a submissão como sua natureza fundamental. 

Até os que além da submissão, se completam também na dominação (Switchers), se curvam diante daquela pessoa especial que posiciona como mais dominante que eles.

No mundo você enxerga de longe alguém com a veia dominante. Desde o patriarca ou matriarca da família que se senta na cabeceira da mesa, sempre chama para si a responsabilidade de cuidar do grupo e que é aquela pessoa para onde todos correm na hora dos problemas ou de uma decisão difícil a ser tomada.

Dominantes são o porto seguro, estabilidade, segurança e paz daqueles que o cercam e de quem cuida com carinho e atenção.

Se fizer algum esforço vai se lembrar dessas pessoas especiais que já viu ao longo da vida. São raros, mas marcantes em sua passagem pela vida das pessoas. São amados ou odiados... nunca ignorados.

Mas a pessoa, mesmo com "jeito pra coisa", não vira um dominante de verdade apenas se vestindo de preto e adotando um título bonito de Mestre, Mistress, Lord, Domme etc.

Já vi muitas pessoas se frustrando na tentativa de transformar o seu parceiro sexual ou de vida em um dominante e é lógico, terminaram frustradas. 

NOTA DO AUTOR
Aqui já encubava a ideia dos percalços da fabricação do parceiro sobre os quais viria a escrever no futuro.

Um dominante verdadeiro se molda depois de anos de experiência (pelo menos 10), onde ele vai errar e acertar, onde ele vai se moldar e evoluir principalmente no que tange a lidar com o poder. 

Todos sabem que o poder corrompe e um "moleque" (sem limitação de idade) não vai saber lidar com esse poder.

NOTA DO AUTOR
Essa questão do tempo mínimo par a formação de um dominante consistente passou por algumas transformações ao longo do tempo. Ainda não vejo como possível a criação imediata e espontânea de alguém que reúna condições mínimas para isso, mas os sobre tais dez anos, apesar de desejáveis, não vão ser a razão direta do indivíduo ser ou não ser bom em alguma coisa.
O tempo de estrada em qualquer atividade proporciona melhores condições melhores para a construção de um bom dominante (ou profissional em qualquer área), mas também deve ser colocado nesta conta o tal “jeito para a coisa” e a firmeza de propósito em se superar e evoluir.
Tanto é que hoje vejo dominantes jovens e iniciantes dando um show de qualidade e outros que acompanhei a trajetória por um longo tempo e esse tempo só serviu para mostrar o quanto eram ruins e despreparados.
Vejo jovens com uma maturidade incontestável de um lado e de outro indivíduos maduros apenas na certidão de nascimento (o moleque citado no texto).


E lidar com o poder é realmente a coisa mais difícil para um dominante absorver. Lord Acton escreveu que "o poder tende a corromper e o poder absoluto corrompe absolutamente, de modo que os grandes homens são quase sempre homens maus", se confirma de forma assustadora nas relações BDSM, onde tudo acontece em cima da dinâmica do fluxo de poder de pessoas sobre pessoas.

O domínio no BDSM nasce da sua interação com uma pessoa submissa investindo de poder a parte dominante. 

Não existe Rei sem um séquito que o mantém no trono e nem Presidente sem moral com o povo que lhe elegeu (e não adianta nem pedir para não o deixem só). 

Sem uma pessoa se submetendo, um dominante não passa do “ser” para o “estar”.

NOTA DO AUTOR
Esse parágrafo foi fundamentado com a história da revolução francesa e com o fato político do presidente brasileiro que foi obrigado a renunciar por causa da perda do merecimento de ocupar o cargo para o qual foi eleito. Coisa que viria a se repetir poucos anos depois com a pessoa que liderava o país sofrendo um impeachment e que no atual momento começa a se repetir.

Mas essa é uma realidade muito difícil de se estabelecer, pois a dificuldade de se encontrar um parceiro se sobrepõe, realidade essa que vale para todos os tipos de relações que podem ocorrem em nossa existência.

E depois de ter encontrado uma pessoa com curriculum e biografia impecáveis, ainda existe a questão do alinhamento das afinidades e expectativas a ser considerado, tornando a busca mais difícil, demorada e com grande risco de grandes frustrações pelo caminho.

No fim, esse texto deve colaborar na resposta de parte das perguntas feitas no início, ou seja, o que são, quem são e como ocorrem essas criaturas raras.

Agora é impossível saber onde se podem ser encontradas essa criaturas especiais, já que elas não costumam aparecer de forma pública e recorrente.

Não é que sejam tímidas... elas apenas não precisam de publicidade. O fato de serem raras lhes dá a vantagem tática de elas serem o real objeto de desejo, o que as mantém com uma vasta oferta de alimento de qualidade.

Podem ter quantas pessoas quiserem e na hora que quiserem, logo são predadores de espera e não de ataque. Invariavelmente saberão de pessoas submissas procurando por elas e pacientemente aguardaram que estas mordam as iscas estrategicamente colocadas.

A única dica que se pode dar é que quem busca um desse indivíduos seja perseverante e se mantenha firme no propósito de buscar a excelência em termos de qualidade de submissão. 

Para os verdadeiros dominantes é isso que faz a diferença na hora de escolher o seu alimento.


GLADIUS MAXIMUS

DOMINANTES DE VERDADE DOMINANTES DE VERDADE Reviewed by Gladius on abril 25, 2021 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.