15.9.17

◄► Glossário: Contexto BDSM


Contexto BDSM é qualquer conjunto de atividades, situações ou circunstâncias que se relacionem ao ambiente de hierarquia, que é a base de todo esse universo.

Por exemplo, o simples ato de varrer a casa passa a ocorrer dentro de um Contexto BDSM se a parte que se submete está seminua ou vestida de Sissy Maid (empregadinha) ou  French Maid (empregada francesa), com coleira e prendedores nos mamilos, amordaçada, algemada e sendo incentivada a fazer bem o serviço com técnicas diversas de Spanking.

[Parte integrante do livro "Crônicas", que será publicado por Gladius Maximus em 2017]  


>>>>>>> Deixe seu comentário e compartilhe!

12.9.17

◄► Glossário: Bondage Terapêutico ou Meditativo


Bondage terapêutico ou meditativo consiste na utilização de técnicas de aprisionamento e confinamento, para que o indivíduo possa, através da restrição de seus movimentos, experimentar sensações que levam ao relaxamento da mente. Aparentemente, esses sentimentos de paz e tranquilidade (advindos do confinamento) estariam relacionados com o ambiente do útero materno. 

Quando não há jogo de poder entre as partes, não se pode falar em BDSM. Ou seja, todo o processo limita-se ao uso das técnicas em si, sem qualquer conotação D/s (Dominação/submissão).


[Parte integrante do livro "Crônicas", que será publicado por Gladius Maximus em 2017]  


>>>>>>> Deixe seu comentário e compartilhe!

6.9.17

◄► Glossário: Blindfold

glossário bdsm, blindfold, vendar, venda para os olhos, privação sensorial, dominacao, submissao

Blindfold é o nome dado ao ato de vendar ou simplesmente, venda para os olhos (qualquer aparato destinado a impedir a visão da parte que se submete).

Item principal das técnicas de “privação sensorial”, é o mais simples de ser utilizado e também o de maior efeito, dado que a restrição da visão implica no aumento da sensibilidade dos outros sentidos, além de potencializar o "estado de vulnerabilidade" da parte submissa.

Tais objetos podem ser simples como lenços, echarpes e "silver tape" ou sofisticados como vendas (em diversos materiais e formatos) e máscaras que cobrem a cabeça, restringindo não apenas a visão como também a audição.

Vendar os olhos é uma das técnicas mais populares para quem começa a dar os seus primeiros passos para sair do "básico baunilha".


[Parte integrante do livro "Crônicas", que será publicado por Gladius Maximus em 2017]  

>>>>>>> Deixe seu comentário e compartilhe!

4.9.17

Relacionamento à distância, múltiplas relações e as necessidades do submisso


relacionamentos à distância, múltiplas relações, relações poliafeticas, dominadores, submissos, necessidades do submisso

Perguntas respondidas durante o "PAPO COM GLADIUS" Nº30, transmitido pela rádio AGITA PLANETA no dia 16.08.2017.

1 - Só os Dominadores podem ter múltiplas relações?
 Por que o dominador pode ter várias submissas, enquanto elas têm que se dedicar só a ele?



2 - Um relacionamento à distância dá certo?
É possível viver uma relação BDSM quando as partes moram em Estados diferentes?



3 - As necessidades do submisso durante uma sessão BDSM
Todas as práticas e atividades que ocorrem em uma sessão BDSM são determinadas pela vontade do dominante? Como ficam as necessidades da parte submissa?



4 - Como diferenciar um submisso "avulso" de um "galinha"?
Os tipos de relações BDSM (possuidor/posse e dominador/dominado) e o uso pejorativo dos termos "avulso" e "galinha".



E você, o que achou desses temas? Deixe suas dúvidas e comentários aqui ou lá no canal: www.youtube.com/diariodeumdominador

GLADIUS MAXIMUS
>>>>>>> Deixe seu comentário e compartilhe!

7.8.17

Aftercare... os cuidados com o submisso nas "sessões" BDSM


aftercare, cuidados com o submisso, sessões, bdsm, dominador, submisso

Quais os cuidados básicos que um dominador tem que ter durante a realização de práticas BDSM? Ele pode se recusar a prestar assistência ao submisso?

  1. Master, para o senhor, quais os cuidados essenciais que um dominante tem que ter no pós sessão? 
  2. Olá, um dominador pode se recusar a prestar assistência? Um submisso pode exigir dele esse cuidado? Negar ou ignorar esse cuidado caracterizaria abuso? Obrigada por abrir este espaço e dividir conosco seu ponto de vista.
*** Pergunta respondida durante o programa PAPO COM GLADIUS, transmitido pela rádio AGITA PLANETA no dia 15/02/2017.


E você, o que achou desse tema? Deixe suas dúvidas e comentários aqui ou lá no canal: https://youtu.be/ehvfzokFnvQ

GLADIUS MAXIMUS
>>>>>>> Deixe seu comentário e compartilhe!

6.8.17

Dominação psicológica | Quando o relacionamento BDSM chega ao fim

dominação psicológica, dominação, submissão, bdsm, relacionamento, fim do relacionamento

Como se dá a chamada “dominação psicológica”? Considerando a intensidade e a entrega das relações D/s (Dominação/submissão), como fica o submisso (e o dominante) quando o relacionamento acaba?

A discussão teve como base a pergunta: "como se dá uma dominação psicológica? Foi lendo uma história sua em seu Blog (proximidade) que me veio essa curiosidade, pois acredito que somente através desse domínio é que um ser pode gozar quando seu dominador lhe ordena (achei incrível e pertubador) E quando esse envolvimento se acaba se é que posso dizer dessa forma, o que faz com o psicológico desse ser? Espero ter sabido fazer a pergunta de forma correta."

*** Pergunta respondida durante programa PAPO COM GLADIUS, transmitido pela rádio AGITA PLANETA no dia 15/02/2017.



E você, o que achou desse tema? Deixe suas dúvidas e comentários aqui ou lá no canal: https://youtu.be/3vmegrIyUMs

GLADIUS MAXIMUS
>>>>>>> Deixe seu comentário e compartilhe!

31.7.17

Choque de realidade II: quando a pessoa supera nossas expectativas



No texto “Choque de realidade no BDSM”, deixei de explorar o viés que será apresentado agora, por ser algo que merecia uma análise isolada e mais profunda, e me concentrei na faixa de ocorrências que se enquadram nos casos de "não era bem isso que eu esperava": 

  • a decepção pela falta: quando as expectativas são grandes e o que se encontra não é "lá essas coisas";
  • a decepção pelo engano completo: quando o que se encontra é outra coisa, que pode ser apenas diferente ou bem pior.

Mas faltou dizer o que acontece do outro lado do gráfico: quando se acha mais do que procurava.

É tudo de bom quando se deseja muito algo e esse "algo" acaba superando nossas expectativas. Porém, no BDSM, por mais incrível que possa parecer, as coisas podem dar “muito errado” quando as expectativas são superadas... e é o que pretendo analisar aqui.

Tal situação é menos frequente que a “decepção pela falta ou pelo engano completo”, mas não deve ser ignorada, pois seus efeitos colaterais podem ser ainda mais decepcionantes. E isso acontece, justamente, na escolha do parceiro, que é na minha opinião a maior dificuldade dentro do BDSM… ou melhor, em toda a nossa vida no que tange às relações afetivas e profissionais.

Acontece assim...

O indivíduo tem uma vida tranquila e equilibrada em todas as áreas, menos nos relacionamentos… O sexo vai mal... falta alguma coisa... e através de filmes, livros e amigos, descobre o universo BDSM. Um lugar onde pode viver de acordo com sua natureza submissa ou Dominante (ou as duas, no caso dos switchers).

Na verdade, só falta isso: colocar para fora algo que está preso e sufocado. 

De resto, não quer que mais nada mude. E esse tal "não quero que nada mude" tem a ver com alguns fatores, entre eles, o fato de se viver um casamento (ou namoro) estável, do qual a pessoa não quer se desfazer, seja lá por qual motivo for.

E logo em suas primeiras pesquisas sobre o mundo BDSM, percebe que através dos fundamentos do S.S.C. (Sanidade, Segurança e Consensualidade) pode ter a chance de encontrar um parceiro para viver a sua natureza de forma plena, sem que tenha outros aspectos da sua vida afetados… entre eles, o seu relacionamento baunilha. Aí, entra de cabeça numa busca desenfreada por esse parceiro.

Só que agora, vou pular algumas etapas...

  • Os casos em que poderia encontrar todo tipo de “sem noção”, parasita, doente ou criminoso pelo caminho;
  • Os casos em que poderia encontrar um parceiro tecnicamente perfeito, reunindo o “básico” para que tudo dê certo (reputação, atitude, experiência e conhecimento), mas que no fim, a coisa não funciona simplesmente pela incompatibilidade entre as partes.
  • Os casos em que poderia encontrar seu oposto complementar perfeito e absolutamente dentro das expectativas, certeza de um "felizes para sempre, eterno enquanto dure".

Quero falar aqui apenas daquela situação onde o parceiro venha a superar (às vezes, de longe) a tudo que a pessoa estava buscando naquele momento. Esse tipo de descoberta não ocorre ao mesmo tempo em que se percebe que esse é o parceiro perfeito dentro das expectativas iniciais. Isso só vem à tona depois...

E tal como acontece no choque negativo, quando o parceiro se revela “bem menos” do que aparentava, o indivíduo é surpreendido só que de uma forma bem mais difícil de se lidar. Quando o parceiro é "menos", sofremos, porém é mais fácil sair da relação. Mas quando é "mais", os sentimentos são elevados para um patamar em que desatar esse “nó” já não é tão fácil.

O motivo? Simples… um dilema de valores é criado.

Diante dessa criatura, os valores do indivíduo são realinhados e o que tem em seu relacionamento baunilha, que antes poderia ser minimamente aceitável, passa a ter uma nota extraordinariamente baixa. E o primeiro impulso é tentar trazer essa pessoa para participar de todos os aspectos de sua vida, fazendo com que a relação comece a transgredir os limites do BDSM.

E isso é ruim? Não... e nem bom... apenas é o que é. 

Isso só é um problema para quem não tem os seus valores restritos à própria realidade, o que os leva a tentar impor constantemente tais valores dentro da relação... E também, para os que não têm razões bem definidas para o seu movimento de transição do baunilha para o BDSM.

O que fazer, então?

O melhor é estabelecer o que NÃO fazer, pois o que fazer é simples.

  • Não se deve ir com “muita sede ao pote”, já imaginando que a pessoa se transformará em um parceiro de vida. Afinal de contas, existe uma chance bem razoável de que a descoberta de uma pessoa "a mais" possa valer apenas para o indivíduo, ou seja, o outro não deseja ter o mesmo nível de relação que ele almeja. Principalmente, no caso de Dominadores (meninos ou meninas) que já possuem outros relacionamentos BDSM;
  • Não se deve tentar “curar” a pessoa das suas tendências BDSM. Ou seja, aqueles casos em que ela vive o BDSM e tudo não não passa de fantasia e fetiche para o indivíduo. Nessa situação, pelo ponto de vista dela, ele é que precisa "ser curado";
  • Não se deve tentar acelerar processos… Numa relação BDSM, quando se coloca “o carro na frente dos bois”, as chances de dar tudo errado são grandes, já que é fundamentada em hierarquia, autoridade e confiança, coisas que levam tempo para serem consolidadas.

No fim, é tudo uma grande coisa só...


Depois de buscar por respostas cada vez mais longe, percebi que tudo era bem mais simples e estava bem diante dos meus olhos.

O mundo baunilha e universo BDSM não existem como lugares físicos, para “onde se possa ir” e “de onde se possa vir”. São dimensões que ocorrem apenas no âmbito das relações afetivas e com fronteiras não muito bem definidas entre si.

De físico mesmo, só o mundo em que vivemos e extraindo-se toda a perfumaria, condimentos e uma boa parcela de gordura, o que resta é vida. Nem boa... nem ruim... apenas vida.

O que nos resta é fazer o melhor e caprichar nos capítulos enquanto estivermos por aqui, pois já sabemos que a história, como um todo, termina num final que também não é nem bom, nem ruim... termina bem no fim.

Devemos apenas seguir o fluxo, deixando que as coisas que têm que acontecer, aconteçam… naturalmente, no seu ritmo. E acima de tudo, expandir a nossa capacidade de percepção, para que possamos aproveitar tudo que esse “encontro” possa nos oferecer enquanto durar. 


GLADIUS MAXIMUS


>>>>>>> Deixe seu comentário e compartilhe!

28.7.17

Baunilha apimentado - Como "brincar" de BDSM?


Não é preciso ser BDSM, para se divertir com o BDSM... Como usar as práticas e o jogo de dominação e submissão para apimentar a relação?

A discussão teve como base a pergunta: "Somos um casal jovem e queremos experimentar coisas novas... Depois que a minha namorada me apresentou o mundo dos fetiches e o BDSM, passei a procurar sobre o assunto com ela, mas confesso que, às vezes, é difícil implementar o que vemos em sites e blogs sobre o assunto. Quais as dicas poderia nos dar para levarmos essas práticas para o nosso relacionamento. Por onde começar?"

*** Pergunta respondida durante o programa PAPO COM GLADIUS, transmitido pela rádio AGITA PLANETA no dia 12/07/2017.




E você, o que achou desse tema? Deixe suas dúvidas e comentários aqui ou lá no canal: https://youtu.be/RzTQfVRU3Io

GLADIUS MAXIMUS
>>>>>>> Deixe seu comentário e compartilhe!

25.7.17

Relacionamentos e vida dupla no BDSM

relacionamentos, vida dupla, dominação, submissão, dominadores, submissos, bdsm

Considerações sobre relacionamentos, casamentos, bigamia, vida dupla e dupla personalidade no mundo BDSM. 

A discussão teve como base o comentário feito no áudio As relações "avulsas" e as submissas "de alma" no BDSM: "Eu gostaria de ouvir uma abordagem sobre relacionamentos,casamentos, bigamia, vida dupla e dupla personalidade de ambas as partes seja Dom ou sub no mundo BDSM."

*** Pergunta respondida durante o programa PAPO COM GLADIUS, transmitido pela rádio AGITA PLANETA no dia 12/07/2017.

 


E você, o que achou desses temas? Deixe suas dúvidas e comentários aqui ou lá no canal: https://youtu.be/Qbbxu4uLHZw

GLADIUS MAXIMUS
>>>>>>> Deixe seu comentário e compartilhe!

22.7.17

Choque de realidade no BDSM


choque de realidade, bdsm, dominacao, submissao, relacionamentos, diario, dominador, baunilha

Era uma vez um cachorrinho que vivia correndo atrás dos carros que passavam diante dele. Era só passar um, que ele disparava, correndo e latindo desesperadamente como se não houvesse amanhã... e nunca os alcançava.  Até que um dia, um deles parou... e ele também, uma vez que não sabia o que fazer com aquele carro. 

Choques de realidade são assim.  Empenhamos muita energia para atingir um determinado objetivo e quando chegamos lá, percebemos que as coisas não são do jeito que imaginávamos. 

De cara, a vertigem causada pela sensação do chão se abrindo abaixo de nós. Este estado de "sem chão" dura pouco, pois a queda, até a inevitável colisão com a realidade, é rápida.
Quanto maior a diferença entre o sonho e a realidade, maiores são os estragos e os efeitos colaterais, que podem ir desde a simples frustração até a depressão profunda. Sem falar nas pessoas mais frágeis, para quem os danos podem ser definitivos.
A todo momento, em algum grau, nós experimentamos choques de realidade, pois temos a tendência de supervalorizar objetivos. Esses choques podem ser bem pequenos, como a decepção com um filme muito esperado ou mesmo enormes, quando aquela pessoa com a qual escolhemos dividir a vida se revela bem diferente da imagem vendida inicialmente.

No BDSM esse choque ocorre de várias maneiras... 

A mais comum é a chegada de pessoas com uma visão excessivamente romantizada, adquirida em filmes e livros feitos normalmente por pessoas que não entendem do assunto. Assim, quando vêm para o BDSM, se deparam com a dura realidade de que não existem as tais criaturas perfeitas, quase míticas (ou do tipo "Grey"), que protagonizam essas histórias. 

Basicamente, esse efeito se dá pelo choque dos valores que funcionam bem no Mundo baunilha, mas não no BDSM. Além disso, a pessoa presume que todos os seus problemas serão resolvidos ao se atirar nesse novo universo. Mas como acontece em quase tudo que nos atiramos sem o mínimo preparo, falhar é quase um destino certo... Ou seja, diante de novos costumes e valores culturais, a falta de conhecimento sobre o território recém descoberto faz com que a pessoa leve um belo choque de realidade!

E quando se carrega alguns dos valores do Mundo Baunilha para o BDSM, dois tipos de problemas gerados por essa falta de preparo são os mais comuns: 
  • A pessoa encontra um parceiro já "climatizado" e não consegue lidar com coisas básicas, como a Irmandade de Coleira
  • A pessoa encontra um parceiro despreparado e com a visão deturpada, que pode decepcionar pela própria inexperiência ou por ser um completo "sem noção", que busca sexo fácil ou coisa bem pior.
Enfim, mesmo com todo o cuidado e preparo, que minimizam os riscos do indivíduo sofrer grandes choques de realidade (entre outros), não existe a certeza de que não vá se machucar. Afinal, nos relacionamos com pessoas... e decepções podem acontecer a qualquer momento, em qualquer tipo de relação. 

O melhor sempre é a minimização de riscos... Saber o máximo possível sobre o lugar que se deseja pisar é essencial, independente da direção que escolha seguir.


GLADIUS MAXIMUS

Imagem via: pixabay.com


>>>>>>> Deixe seu comentário e compartilhe!

20.7.17

Estilo de vida BDSM no 24/7 do Projeto Luxúria

estilo de vida, BDSM, 24/7, projeto luxúria, evento, festa, bate-papo

O Projeto Luxúria realizará nesse sábado (22/4) sua festa em homenagem ao "Dia Internacional do BDSM - 24/7" e estarei lá para um bate-papo sobre estilo de vida BDSM! Que tal aproveitar a oportunidade para se divertir e conhecer mais sobre esse universo? :)

Para mais informações, acesse a página do evento no Facebook ou o site do Projeto Luxúria.

>>>>>>> Deixe seu comentário e compartilhe!

19.7.17

Existem diferenças entre a dominação masculina e a feminina no BDSM?


Homens e mulheres dominam de uma forma diferente nos relacionamentos BDSM?

A discussão teve como base a pergunta: "Já chegou a comentar sobre as diferenças da dominação masculina e feminina?"

*** Pergunta respondida durante o programa PAPO COM GLADIUS, transmitido pela rádio AGITA PLANETA no dia 31/05/2017.



E você, o que achou desse tema? Deixe suas dúvidas e comentários aqui ou lá no canal: https://www.youtube.com/watch?v=YiaqO2U9DEc

GLADIUS MAXIMUS
>>>>>>> Deixe seu comentário e compartilhe!

BDSM: escravas versus submissas


Submissa é aquela que serve naturalmente? Uma submissa pode ter momentos de rebeldia? E a escrava... é sempre rebelde?

A discussão teve como base a pergunta: "Qual a diferença de escrava para submissa?".

*** Pergunta respondida durante o programa PAPO COM GLADIUS, transmitido pela rádio AGITA PLANETA no dia 30/05/2017.



E você, o que achou desse tema? Deixe suas dúvidas e comentários aqui ou lá no canal: https://www.youtube.com/watch?v=m0WW0N2ABrI&t=2s

GLADIUS MAXIMUS
>>>>>>> Deixe seu comentário e compartilhe!

17.7.17

Dominação por baixo…

dominação, submissão, bdsm, relacionamentos, dominadores, submissos

As manipulações e chantagens do submisso nos relacionamentos BDSM...

A discussão teve como base a pergunta:

Poderia falar algo sobre dominação por baixo... chantagem que a sub faz do tipo "vai me deixar".

*** Pergunta realizada durante o programa PAPO COM GLADIUS, transmitido pela rádio AGITA PLANETA no dia 05/07/2017.



E você, o que achou desse tema? Deixe suas dúvidas e comentários aqui ou lá no canal: https://www.youtube.com/watch?v=tOBt5Y8gtUI

GLADIUS MAXIMUS
>>>>>>> Deixe seu comentário e compartilhe!

O verdadeiro poder é do submisso?

poder, submisso, limites, dominador, dominação, submissão, bdsm, relacionamentos
A base do poder nos relacionamentos BDSM... O poder do submisso e os limites do poder do dominador.

A discussão teve como base a pergunta: "Já ouvi assim: na verdade, quem tem o verdadeiro poder no D/s é o submisso por ter a palavra final. Essa linha de raciocínio sempre me deixou confuso. O que tem a dizer a respeito disso?".

*** Pergunta respondida durante o programa PAPO COM GLADIUS, transmitido pela rádio AGITA PLANETA no dia 05/07/2017.



E você, o que achou desse tema? Deixe suas dúvidas e comentários aqui ou lá no canal: https://www.youtube.com/watch?v=qKREi7CxhLU

GLADIUS MAXIMUS
>>>>>>> Deixe seu comentário e compartilhe!

Blog sobre relacionamentos, dominação, submissão, fetiches, sexualidade e estilo de vida BDSM. Dominador puro e natural, habitante do Universo BDSM 24/7, cara de mau, mão pesada, bem-humorado para poucos e como John Wayne... Feio, forte e formal.

>>> LEIA MAIS

CONSULTORIA

IMPORTANTE!

Todas as práticas, atividades e comportamentos relacionados ao BDSM devem ser realizados dentro dos limites do SÃO, SEGURO E CONSENSUAL.

Para além do S.S.C. e da hierarquia, que são conceitos básicos e fundamentais dentro das relações BDSM, tudo o que eu falo representa apenas a MINHA VISÃO sobre esse universo.

Quando falo de dominadores, submissas e relações... vale para todos os gêneros e combinações. O que importa é a posição hierárquica da parte, ou seja, se é dominante ou submissa.

F.A.Q.

Diário de um Dominador: comece por aqui!

Criei este blog com o objetivo de compartilhar a minha jornada como Dominador e ajudar outras pessoas que estão em busca de autoco...

NOVIDADES

BATE-PAPO