Literatura e modismo no BDSM

Senhor, qual sua opinião sobre a literatura que está transformando o BDSM em modismo? Acabei de ler o segundo livro da trilogia de Maya Banks, Delírio. A impressão que tenho é que as mulheres retratadas são escravas do dinheiro... muito fácil ser escrava com um cartão de crédito sem limites... 

O BDSM sempre entra em evidência, de tempos em tempos. O problema é que como os livros são escritos por pessoas que não vivem o BDSM, e que apenas pesquisam sobre o assunto com outras pessoas, do qual algumas dessas também não são de fato do meio BDSM.


Isso acaba tendo dois efeitos colaterais, além de claramente em cada nova onda dessas, uma nova horda de curiosos invade o BDSM, em sua maioria pessoas "sem noção".

Por um lado, são livros criados para agradarem públicos específicos dando aos leitores o que eles gostariam de ler, logo, se transformam em sucesso de vendas e o tema se espalha de forma rápida. 

Por outro, como foi feito por pessoas que não sabem do que estão falando, acabam divulgando o universo BDSM de forma distorcida.

Li o primeiro livro da trilogia dos 50 tons por obrigação, pois me pediram um post com a minha opinião... li, escrevi o post... três posts na verdade, pois dois ainda estão na gaveta... mas sinceramente não consegui continuar... não fiquei curioso em relação ao que aconteceria com o Sr. Christian “Perfeitinho” Grey.

Não leio livros com temática BDSM, pois levo uma vida BDSM intensa e profunda. Simplesmente não consigo ter a atração em ler histórias menos interessantes que a minha própria.

Pessoas escravas do dinheiro ocorrem em todos os Universos e com um cartão de crédito sem limites é muito fácil para qualquer um ser qualquer coisa... e como fala minha Nandha, “quero ver tirar essa onda duro”.

3 comentários:

  1. Reúno aqui dois comentários que já fiz no facebook...
    Particularmente eu opto por literaturas que fujam do estilo de vida que levo porque invariavelmente acabo comparando a "fantasia x real" e me frustro com os romances. Não que eles não possam ser mais interessantes, mas é que podem se tornar "inverossímeis" para a minha capacidade de fantasiar.

    Quanto ao ponto de mulheres "escravas do cartão de crédito sem limite". Essa é uma escravatura muito mais por vício e por usarem isso como fuga para outras coisas do que por escolha. Sim, algumas pessoas "têm" para gastar, mas existe diferença entre comprar coisas caras e acumular coisas. O cartão de crédito pode representar uma ausência de coleira, ausência de limites e até perda de referências, o que vejo ser oposto em relação ao BDSM que além de tudo é uma prisão "por escolha" e um abrir mão para ter. Assim, não vejo relação entre as duas "prisões" mas ainda acho a que escolhi muito mais saudável.

    ResponderExcluir
  2. Entao como voce sugere que possamos conhecer e entender o estilo bdsm e entao decidir se realmente e algo que realmente queremos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Imagine que vai ter a oportunidade de mudar para outro país. O que faria para escolher qual seria o país para onde passaria a viver?

      Acho que a atitude de ver se o BDSM serve ou não para você é similar ao exemplo que dei.

      Pesquise, visite e experimente. O resto vai fluir... ou não.

      Excluir

Tecnologia do Blogger.