16.8.13

Jovens no BDSM

Já tive restrições com meninas menores de 25 anos, e essa sempre foi a idade mínima para que eu pensasse em avaliar alguém como parceira. Mas a vida real é bem diferente disso. 


Tive mulheres com mais de 40 anos se comportando como crianças imaturas e outras com 20 e poucos, absolutamente maduras e preparadas para o BDSM. Com essa interação real acontecendo, minha conclusão é de que a maturidade não é algo necessariamente proporcional à idade. 

Hoje vejo este assunto em específico de forma diferente do que era há tempos atrás. Como o assunto é sobre “Jovens no BDSM” se torna importante esclarecer quais são os tipos de relações que existem no Universo BDSM e a diferença entre elas.

São dois os formatos fundamentais de relações dentro do Universo BDSM: “Dominador/dominado” e “Possuidor/posse”. De uma forma extremamente simplista a primeira equivaleria a tudo o que acontece desde o flerte, passando pelo namoro e chegando até o noivado no Mundo Baunilha. Já o segundo formato, pelo alto grau de compromisso equivaleria ao casamento. 

Que fique claro que esta é uma simples comparação e que não existe maneira de se medir, em importância, relações que ocorrem em universos diferentes. A relação “Dominador/dominado” se caracteriza pelo ato em si.

Dominar é fácil, pois é um ato e basta existir um parceiro disposto a se submeter e, ao contrário do que muitos pensam, é apenas psicológica e deve acontecer de forma consensual. Dominação física pura e simples é ilegal e da cadeia. 

Já “Possuir” envolve questões mais profundas como responsabilidade, cuidado, atenção, etc. Diferente da primeira, esta vai muito mais além envolvendo confiança total e entrega incondicional atingindo altos níveis de intensidade e por conseqüência, de complexidade, passando de fato, uma das partes a pertencer à outra.

É importante estabelecer estas diferenças entre os tipos de relações do BDSM para se definir o que é adequado para cada faixa de idade. Relações deste Universo formam algo que chamo de Elo BDSM, um sentimento que é composto de amor, paixão, fúria, fogo, terror, êxtase, entrega e confiança. 

Se amar já é algo difícil de ser gerenciado para pessoas tecnicamente maduras, no Elo BDSM essa complicação se multiplica pela intensidade das sensações, transformando essa transição um obstáculo quase intransponível, imagine toda essa complexidade de sentimentos para pessoas jovens e com poucos quilômetros rodados de vida. 

Penso hoje que pessoas jovens podem e devem ser informadas sobre as práticas do Universo BDSM e de outros adjacentes, pois acredito que as técnicas dos Universos superiores podem colaborar para o desenvolvimento sadio da libido do indivíduo.

Quanto mais cedo a pessoa se resolve sexualmente, mais cedo estará preparada para agregar os valores necessários para se locomoverem por qualquer Universo. E, no Universo BDSM, o jogo sexual de Dominador/dominado é um dos mais eficientes neste processo de “se descobrir”. 

O que acontece com estas pessoas mais “maduras”, é que com essa vivência toda no mundo baunilha, somada ao retardo do controle da própria sexualidade, termina sendo algo ruim, uma vez que não conseguem perceber os novos valores e agregá-los aos antigos já bem arraigados. E é esse choque de valores uma das maiores causas dos problemas nos relacionamentos BDSM. 

Portanto, hoje vejo que antes da idade em si, todos têm direito de mostrar a que vieram. Pessoalmente, não tenho problemas em avaliar mulheres acima dos 18 anos. O caminho é o mesmo para todas, pois comigo tudo começa na conquista do meu respeito e amizade. O que vem depois é consequência, sempre começando pela relação Dominador/dominado. Se esta vai se transformar em algum momento do futuro em uma relação de Possuidor/posse, já é outra história. 

Essa questão dos menores de idade de fato é um dilema. O que fazer quando se dá de cara com uma pessoa menor de idade curiosa sobre BDSM? Dizer para que não se envolva neste meio, argumentando que não está preparada e deixá-la por sua própria conta e risco e caso ela simplesmente ignore o conselho, deixá-la por sua conta e risco podendo esta cair nas mãos de alguém realmente mal intencionado? Talvez simplesmente não se envolver de forma alguma com essas pessoas, deixando que fiquem à própria sorte? Ou quem sabe dar o conselho e ficar monitorando de longe para garantir que o “aborrecente” não se meta em nenhuma encrenca?... Cartas para a redação. 

Os adolescentes, em sua fúria animal detonada pelos hormônios circulando, são compelidos a buscar por novidades e respostas. E acreditem... eles vão longe nestas buscas. Soma-se a isso, a precocidade alavancada pela modernidade e a disponibilização de informações pela internet e outros meios. Estes lolitos e lolitas acabam enxergando os universos além do Mundo Baunilha muito cedo. Às vezes, cedo demais. 

Os menores que se aproximaram de mim virtualmente ao longo da vida foram informados sobre o que era o Universo BDSM e para eles sempre dei dois conselhos (além de orar para que tenham a paciência necessária para esperar pela maioridade): leiam tudo o que puder sobre o assunto e se ainda assim, quiserem circular pelo meio, que o façam de forma virtual, nunca buscando um contato real antes da maioridade. 

Já que querem aprender, passo os principais sites com informações sérias e digo que se querem brincar de Dominador/dominado, que o façam com pessoas de sua faixa etária, prestando bastante atenção às questões de Sanidade, Segurança e Consensualidade (S.S.C.). 

Menores podem e devem brincar de tudo que envolva a sua sexualidade, dentro das suas próprias tendências e preferências, não havendo uma razão para a exclusão das mais variadas técnicas encontradas nos universos superiores do prazer... mas devem fazer isso com outros menores. É bom lembrar que o próprio Universo BDSM pega “emprestado” técnicas e procedimentos de outros Universos, já que ele mesmo é composto em sua essência por hierarquia. 

Este “brincar” de BDSM significa que não se deve passar do jogo de Dominador/dominado, que é super instigante e prazeroso para conexão de “Possuidor/posse”... que não é brincadeira. “Possuidor/posse” é uma interação de cacife muito alto, onde além dos riscos físicos, a intensidade pode facilmente provocar danos psicológicos. Se já é muito complicado para a maioria das pessoas “maduras”, quanto mais para as mais jovens e imaturas. 

Fica realmente muito difícil segurar essa garotada com tanta informação disponível. Hoje em dia tudo parece acontecer mais cedo com esta juventude realmente adiantada. Lembro de quando acompanhei a infância e adolescência do meu filho. Assistia perplexo como ele amadurecia bem mais cedo do que eu, quando tinha a mesma idade. 

Nada me convence do contrário de que a maior defesa para desvios é a informação, pois os maiores “desviados” que cruzaram o meu caminho foram, no seu passado, crianças que cresceram sem informação ou com visões distorcidas de pais mal informados. Os jovens devem receber dos pais informação séria e consistente para que possam ter um mínimo de condições de filtrar tudo o que recebem das mídias diversas disponíveis. 

Resumindo, para menores de idade, BDSM como qualquer outra atividade que venha a despertar e aprimorar a sexualidade deve ficar só na teoria ou brincando com outros menores... para todo resto, vale tudo o que estiver de acordo entre as partes (sejam lá quantas forem).

GLADIUS MAXIMUS 


► Idade: Jovens no BDSM




>>>>>>> Deixe seu comentário e compartilhe!

10 comentários:

  1. Anônimo22.12.10

    Parabêns, muito consciente suas observações quanto a orientação dos jovens. Se as relações sm são um passo acima das relações baunilha, podemos pensar que primeiro é necessário que se viva intensa e completamente sua vida baunilha sexual amorosa antes de se aventurar para um nível mais complexo, intenso. Sendo assim como alguém com 20 e poucos anos pode estar pronto para isso? Idade sem dúvida não é garantia de maturidade...mas sem tempo de vivência a maturidade não tem como se desenvolver. Existem pessoas de 40 anos que sem dúvida não cresceram, algumas com 50 ou 60. Mas com 20, 30 elas ainda não tiveram tempo...é matemática. Ainda bem que tens paciência de orientar aos jovens...rs...pq haja paciência ...
    Anônima por natureza

    ResponderExcluir
  2. Adorei o post Sr, realmente idade nunca é e nunca será sinônimo de maturidade nem de se saber o que realmente se deseja, assim como existem pessoas de 50, ou de 20 que que qpenas querem "brincar" de SM, brincar sem saber jogar.Pessoas que não estão de bem com sua sexualidade, nunca estarão preparadas para o jogo BDSM....Mais infelizmente vemos de tudo nesse nosso meio, seja virtual, ou real. Um abraço Sr

    ResponderExcluir
  3. Anônimo29.6.11

    Parabéns pelo o blog, sempre muito bem escrito com matérias que alem de esclarecedoras, também são muito estimulantes de se ler.
    Ressalto aqui uma pequena parte do texto do Senhor que muito me tocou:

    É importante neste ponto se estabelecer uma diferença entre Dominar e Possuir, que são dois conceitos fundamentais dentro do Universo BDSM. A Dominação é um ato e basta existir um parceiro disposto a se submeter, Dominar é fácil. Já Possuir envolve outras questões mais profundas como responsabilidade, cuidado, atenção etc.

    Sempre tive esse pensamento, porém infelizmente vejo que em nosso meio são poucos aqueles que ainda têm essa visão.
    Fico muito feliz, em saber que um Dominador como o Senhor esta aqui, disposto a nos esclarecer e passando um pouco desse conhecimento tão profundo sobre o meio.

    Beijos respeitosos em Seus pés

    naomy sub

    ResponderExcluir
  4. Lendo esse post, fiquei pensando como ficaria a cabeça de um submisso que não tivesse maturidade e que tivesse tido pela primeira vez, em sua primeira experiência BDSM, um dominador psicológico que o transformou em sua posse e simplesmente, depois de um tempo, pelos afazeres da vida, tenha resolvido tornar sua posse em simples dominado e começado "a brincar" de Dominador/dominado.
    Acredito que um "dominado" possa vir a se tornar uma "posse", mas não acredito ser possível o inverso. E então, fico pensando se nesse caso, faltou maturidade a alguém e a quem foi, a posse que se entregou ou ao Possuidor que a tomou?

    Senhor, "peguei emprestado" parte do seu post aqui e postei no meu blog, com os devidos créditos, claro.

    Aprendendo muito passeando por aqui.

    ResponderExcluir
  5. Anônimo8.4.14

    sou mulher, tenho 20 anos e estou neste mundo a 3 anos meu primeiro namorado foi também meu primeiro Dono foram descobertas incríveis e difíceis ao mesmo tempo na atualidade estou só pois como conheci um Dom q fez todo um controle psicológico, dava carinho e atenção, claro sem me ater do meu lugar de serva. Sinto falta disso de quem realmente conheça e entenda o BDSM e não somente acha q xingar e bater se resuma a tudo. Xingar qualquer idiota faz, mais Dominar so um Dom de verdade faz

    ResponderExcluir
  6. Anônimo28.5.14

    Na verdade.. BDSM e uma vontade que as vezes vem desenvolvendo desde a infacia de determinada pessoa.. Acho que dizer que MENOR DE IDADE DEVE VIVER VIDA BAUNILHA PRIMEIRO nao e legal... Pois a Vocacao e para ser Dom ou Sub. Nao e obrigatorio ter anos X de vida Baunilha ne! O BDSM pode ser algo que falta em determinada pessoa.. e mais que tesao.. e necessidade de ser dominado.

    ResponderExcluir
  7. Sempre fui uma garota muito obediente, por que me satisfaço com a satisfação das pessoas, nunca me julguei normal, pelo fato da minha vontade infinita de servir a alguém dessa forma, porém, encontrei um jeito, um escape, uma “luz”, seja lá como eu possa chamar, de me satisfazer sexualmente, sou uma submissa por natureza, mas sinceramente, tenho meus deslizes. Esse “mundo” que muitos julgam errado, pra mim é apenas mais uma forma de se satisfazer, e acredito que esse seja o meu lugar, nunca me encontrei na manotonicidade, gosto de “coisas” diferentes, porém, minha cidade é um local com a mente muito fechada e conservada. Não pertenço a esse lugar Sr.!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Andreia

      O mais importante você já conseguiu. Conseguiu definir o que não é e o que não quer para você. Além disso, já estabeleceu uma direção a seguir.

      Então, se já sabe o que é, sabe o que não quer e já tem uma direção, só falta se mover.

      Se não está pronta para se mover, trabalhe na preparação para o movimento.

      O resto apenas vai fluir.

      Excluir
  8. Admiro seus pensamentos e sua postura como Dominador... Quem me dera um dia encontrar um Senhor assim para me Conduzir... Meus Respeitos!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já recebi vários tipos de elogios em relação a mim e aos meus escritos. Os que são focados nos pensamentos e posturas são das melhores, pois são uma espécie de recompensa pela retidão na vida e pela firmeza de propósito de minha parte em viver BDSM.

      Agora, esta de falar que gostaria de encontrar um Senhor como eu para te conduzir é especial, na medida que passei apenas de uma fonte de informação para ser uma referência de comportamento.

      Sua maneira de falar foi direta e respeitosa... gosto muito disso... quem me dera, todas as pessoas que circulam pelo BDSM fossem assim.

      Meus respeitos.

      Excluir

Blog sobre relacionamentos, dominação, submissão, fetiches, sexualidade e estilo de vida BDSM. Dominador puro e natural, habitante do Universo BDSM 24/7, cara de mau, mão pesada, bem-humorado para poucos e como John Wayne... Feio, forte e formal.

>>> LEIA MAIS

CONSULTORIA

F.A.Q.

Diário de um Dominador: comece por aqui!

Criei este blog com o objetivo de compartilhar a minha jornada como Dominador e ajudar outras pessoas que estão em busca de autoco...

NOVIDADES

BATE-PAPO