21.5.14

Relação Dom x Domme no BDSM

Eu tenho uma dúvida: seria possível dois dominadores se apaixonarem um pelo outro? E caso a resposta seja sim, como seria uma relação assim, entre um Dom e uma Domme?

Na vida ficamos próximos de pessoas com as quais temos interesses comuns. Isso é o que acontece sempre e pode ser em maior ou menor grau, mas raríssimas são as vezes que vemos pessoas que não tem nada “a ver” uma com a outra, juntas. Como polos magnéticos, pessoas iguais tendem a se afastar, sendo as melhores relações formadas por pessoas opostas e complementares.


Então, o que dois seres Dominantes puros buscariam e encontrariam um no outro se, para que um Dominante no BDSM se complete isso ocorra com o seu parceiro se submetendo?

Na realidade a parceria perfeita se dá quando um dos Dominantes é um switcher (aquele que se completa dominando ou sendo dominado dependendo do parceiro), ou seja, os dois até poderiam dominar e até ter posses do “casal”, mas na hora da relação a dois, um vai Dominar o outro.

Se isso não acontece o que sobra? Relação baunilha ou de amizade?

Falei desse exemplo do casal Dominador/switcher, pois é a minha realidade. Gosto muito de dobrar as fêmeas mais Dominantes, então a minha tendência é ter como "alfas" mulheres assim. 

Simplesmente não teria graça me relacionar com uma Domme pura, pelo simples fato de que o que me alimenta é submissão. Uma Domme pura me atrai tanto quando um outro homem, ou seja, zero.

Logo, num mundo grande como o nosso, e com tanta gente, pode até ser possível que duas pessoas puramente Dominantes venham a se apaixonar, só não sei o que iriam fazer na alcova. 

Para mim, não é possível ter uma parceira na cama sem usar e abusar. Seria uma relação que já nasceria morta e sem futuro algum. 

Mas isso é para mim.

>>>>>>> Deixe seu comentário e compartilhe!

15 comentários:

  1. Na alcova poderia dividir um(a) sub :D

    ResponderExcluir
  2. Roxy B, nesse caso eles seriam parceiros de dominação e não um casal. Como o Gladius falou, a relação talvez funcione se um deles estiver disposto a se submeter de vez em quando. Talvez até, eles se intercalem, passem 15 dias como dominante e outros 15 como sub. Mas ainda assim seria uma relação entre switchers e não entre Dom e Domme.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No meu modo de ver, a troca de papéis não pode existir no BDSM por que o seu principal fundamento que é a hierarquia seria quebrada.

      Imagine um soldado no dia seguinte comandando o seu sargento. Não seria verdadeiro. Que tipo de respeito real uma pessoa submissa teria por um Dominante que se submetesse a ela periodicamente?

      Mas como disse... isso não pode acontece no BDSM... mas nenhum problema disso ocorre na camada caótica dos fetiches, onde pode "tudo".

      Nessa camada que fica entre o mundo baunilha e o Universo BDSM, só reina o prazer, o visual e o sensorial... e é nesse lugar que ocorrem os principais experimentalismos antes de se optar por este ou aquele universo superior.

      Então, neste luar em específico, um casal baunilha em estado avançado de evolução pode "brincar" do que quiser... Dom e Domme inclusive.

      Excluir
    2. Está bem, sem troca de papéis então, tudo o que restaria é uma das partes ceder e aceitar ser o bottom da relação. Nesse caso, essa parte que cedeu só voltaria a dominar se o Top cedesse outra posse pra essa finalidade.
      É difícil falar sobre como seria uma relação assim, minha opinião mesmo, é que provavelmente eles não se apaixonariam. E caso aconteça, ficaria a cargo deles definir como seria a relação. (Acho pouco provável que eles assumam uma relação)

      Excluir
    3. Afirmei desde o princípio que esse tipo de relação é inviável. Não existe hierarquia real em trocas de papeis entre os mesmos parceiros dentro do BDSM (existe sem problema na camada dos fetiches).

      Agora, pessoas que não assumem relações ou não se assumem dentro do que verdadeiramente são não devem existir no BDSM. O lugar desse é no mundo baunilha de onde nunca deveria tentar sair.

      Para estes, sempre vai existir a camada intermediária dos fetiches e os brinquedinhos de Sex Shops.

      Excluir
    4. você está meio intolerante rsrs
      Eu escolhi o verbo errado, mas foi o que surgiu na hora. Quando disse "Acho pouco provável que eles assumam uma relação "eu usei o verbo assumir como iniciar, começar, engatar, etc. Enfim, eu acho que mesmo que eles se apaixonem (entendendo paixão como aquele sentimento baunilha que todo mundo conhece e eu não sei se os praticantes do BDSM sentem) mesmo se eles se apaixonarem não vão querer ter uma relação entre si. O que não impede essas pessoas hipotéticas de assumirem (no sentido real da palavra) uma relação com outras pessoas que não tenham uma natureza dominante.
      Agora, se isso que eu escrevi não fizer o menor sentido pra você é porque eu não entendi o que você quis dizer, e sendo assim, ignore o que eu disse : )
      É difícil opinar sobre o tema porque não sou uma BDSMista (li isso em um blog) e não pretendo ser uma Domme, muito menos uma Domme apaixonada por um Dom. Deixo o tema para Dominantes verdadeiros. ;-)

      Excluir
    5. O que eu quis dizer com o meu comentário,é que poderiam ser um casal em todos os outros aspectos da vida, mas sexualmente, poderiam dominar outra pessoa em conjunto, então sim, Stella, parceiros de dominação me parece um nome adequado para essa situação.

      As pessoas são complexas, acredito que podem se apaixonar sim por iguais, e vai de cada um conseguir ou não lidar e encontrar soluções para isso. Tendo em vista o fato de que alguns, até onde sei, não vivem o BDSM 24/7, me parece totalmente viável que um casal assim possa viver um harmonia. Surge até uma piadinha na minha mente: "casal que domina unido, permanece unido". Será? :)

      Deixo bem claro que não sou nenhuma especialista no assunto, sou apenas uma curiosa que aprecia muito o blog:

      Excluir
  3. Gladius você voltou!!! Fico muito feliz. :)
    Obrigada por ter respondido meu email.

    ResponderExcluir
  4. Recebi o seguinte comentário: "Acho ate possível uma relação baunilha entre dois dominadores mas não uma relação bdsm"

    E respondi assim lá:

    Como disse no texto, pessoas ficam próximas por algum bom motivo. Fiz questão de frisar que o texto valia apenas para mim por que sou primariamente dominador e não sei sentir prazer sem Dominar. Depois que provei da montanha russa do BDSM, simplesmente não tenho vontade de andar de carrossel baunilha.

    Gostaria que seguissem essa lógica e me falassem como seria isso.

    Cada um tem os seus escravos ou dividem as posses entre si? Fazem as sessões juntos ou separados? Quando dominarem juntos.. Vai rolar um sexuzinho baunilha no meio do tesão todo ou cada um vai usar sexualmente seus próprios escravos para isso?

    E depois... Chegando em casa... Preliminares? Papai e mamãe? Kama Sutra? Sexo com chantili e morangos?

    Eu pergunto por que não sei a resposta. Sempre acreditei que um Dominante verdadeiro e puro, quando casado, sempre tem que começar dominando o seu cônjuge em casa.

    Nunca tive uma relação baunilha... Não sei quais são os procedimentos de uma relação assim. Sei apenas tomar o que é meu, usar e abusar de forma extrema. Também não entendo como um Dominante BDSM possa viver sem isso.

    Por tudo isso falei só por mim e, no meu universo BDSM, jamais conseguiria conviver com uma mulher que não me pertencesse e me alimentasse do terror e êxtase que preciso para me nutrir.

    ResponderExcluir
  5. Anônimo14.5.15

    Boa tarde!
    Não sei bem porque li esse post, mas ao le-lo algo chamou ferozmente minha atenção. "Gosto muito de dobrar as fêmeas mais Dominantes, então a minha tendência é ter como "alfas" mulheres assim." Até ler isso me identificava exclusivamente como submissa, mas agora confesso q to em duvida. Então o q significa uma fêmea mais dominante?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meninos ou meninas variam em sua natureza entre submissão e Dominação. No BDSM existem mulheres que se completam se submetendo e outras dominando.

      As mulheres de que falo (e gosto) são as que se encontram em um tipo intermediário chamado switcher, ou seja, que se completa tanto dominando quando se submetendo tendo esse seu estado definido pelo seu parceiro.

      As switchers são pela própria natureza mulheres com alta dose de dominância e na vida são as que lideram seu grupo familiar, cuidam dos que estão a sua volta e gozam de profunda independência no seu modo de vida.

      Estas raramente se submete fora das "quatro paredes" e veem o BDSM como a oportunidade de completarem esse seu lado submisso de forma controlada e segura.

      GLADIUS

      Excluir
  6. Anônimo15.6.15

    Um dominador se envolve com mais de uma submissa simultaneamente?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um Dominante (menino ou menina) pode se envolver com quantos submissos (meninos ou meninas) que quiser. puder, merecer e der conta.

      Não existem limites em termos de quantidade de pessoas que participam de uma relação BDSM.

      Existindo verdade, hierarquia e firmeza de propósito em viver BDSM, a questão da quantidade é irrelevante.

      GLADIUS

      Excluir
    2. A Recíproca é verdadeira também? Um bottom pode se relacionar com outros Tops desde que estes autorizem e consintam com a situação ou seria errado?

      Excluir
    3. Sim... e não.

      A parte que se submete pode sim ter mais de um Dominante, mas não por autorização ou consentimento.

      A dinâmica é outra. Uma das partes comunica a outra essa sua intenção e havendo concordância cabe ao Dominante escolher a quem, como e quando (de forma consensual) isso vai acontecer.

      Esse assunto foi abordado no dia 08/02/2016 no Programa Papo com Gladius, na Rádio Web www.agitaplaneta.com que vai ao ar ás quartas-feiras, das 20:00 às 21:00 horas. Este programa em breve está disponível no meu Canal do Youtube https://www.youtube.com/channel/UCB62w4KArpM83Dgf55UduZw.

      Excluir

Blog sobre relacionamentos, dominação, submissão, fetiches, sexualidade e estilo de vida BDSM. Dominador puro e natural, habitante do Universo BDSM 24/7, cara de mau, mão pesada, bem-humorado para poucos e como John Wayne... Feio, forte e formal.

>>> LEIA MAIS

CONSULTORIA

IMPORTANTE!

Todas as práticas, atividades e comportamentos relacionados ao BDSM devem ser realizados dentro dos limites do SÃO, SEGURO E CONSENSUAL.

Para além do S.S.C. e da hierarquia, que são conceitos básicos e fundamentais dentro das relações BDSM, tudo o que eu falo representa apenas a MINHA VISÃO sobre esse universo.

Quando falo de dominadores, submissas e relações... vale para todos os gêneros e combinações. O que importa é a posição hierárquica da parte, ou seja, se é dominante ou submissa.

F.A.Q.

Diário de um Dominador: comece por aqui!

Criei este blog com o objetivo de compartilhar a minha jornada como Dominador e ajudar outras pessoas que estão em busca de autoco...

NOVIDADES

BATE-PAPO