Bom gosto no BDSM (e em todo o resto)

Não que eu seja puritana ou não goste de foto de NU (até tenho as minhas), mas ODEIO (e muitos já perceberam) foto de Cú! Sim, ânus de que não tem nada útil pra postar. Pra mim, se ñ tem uma fotinho bacana, bonita ou de sessão, espere tê-las. E vc, PatinhaAG - Formspring.me

Gosto é algo que não se discute, se lamenta. Assim, consagra a sabedoria popular com um dos tantos ditos disseminados em nossa cultura.

Minha formação de terceiro grau é de Designer e, sendo assim, tenho
uma maneira bem particular em como degusto “tudo” que me conecta, com o que está ao meu redor. Tenho duas formas de encarar toda essa informação que chega através dos sentidos e, que fazem a interface do meu cérebro com o mundo.

Tenho o modo básico, que desenvolvi na minha experiência como militar e que  chamo carinhosamente de “modo de sobrevivência”.  Essa homenagem é feita em virtude aos áureos tempos quando as opções, em termos de qualidade com relação a tudo, eram bastante restritas... então, era respirar fundo e se desligar.

A segunda forma,  é o modo normal, onde uso e abuso de toda a sofisticação e evolução que consegui durante a minha existência, até agora, para degustar a “arte” que existe em tudo. Todas as nuances e combinações de cores, odores e sabores à minha inteira disposição... pois gosto de “mastigar a vida”, bem devagar. E quanto mais o tempo passa, mais vou aprendendo a perceber a arte que existem em todas as coisas.

Arte tem várias descrições e entendimentos mas, particularmente, acredito que uma coisa feita com arte é aquela que transmite uma mensagem, não necessariamente traduzível em palavras, mas que conduz emoção... que toque fundo.

E, da mesma forma que gosto não se discute, a beleza está nos olhos de quem a vê. Algo que me é facilmente transmitido, e por mim captado, talvez não seja, obrigatoriamente, transmitido ou captado a todos.

Mesmo as mais belas artes, que são aclamadas como obras-primas, não conseguem agradar a todos. Como diz também outro velho dito popular: “não é possível agradar a gregos e troianos.”

Existe algo que é absolutamente raro na humanidade e se chama unanimidade.

Nesse sentido, “bom gosto” é algo relativo. Como se tem gosto para tudo, existem certas coisas que agradam mais que outras... e pessoas com mais ou menos tolerância à elas.

Portanto, fica muito complicado entrar em um processo de crítica sistemática, pois se por um lado quem transmite a mensagem, através de foto, pintura ou música, não está fazendo nada que preste aos olhos de uma maioria, o direito que este “artista” tem de se manifestar deve ser preservado. A minoria que gosta deste “quem” (que pode ser de apenas um) tem que ter o seu direito de apreciá-lo preservado.

E é justamente para esses momentos em que sou exposto (na maioria das vezes por livre e espontânea pressão externa) que serve o “modo sobrevivência”. Este, quando ativado, me faz literalmente ignorar o “ruído externo” causado por comidas, sons ou visual ruins.

E quando tudo mais dá errado em termos de tolerância e a situação fica insuportável, lanço mão do poder supremo que possuo, o poder que detenho sobre a minha pessoa... isto é, me retiro.

Se é algo ruim na TV, mudo de canal. Se a comida é ruim e a minha gordura corporal vai segurar o jejum, simplesmente não como. E isto é uma grande metáfora que serve para tudo... Não vou “engolir” algo que vai me fazer mal.... e ponto final.

O grupos se formam com pessoas com os mesmos gostos e interesses, portanto, o que uma pessoa lê, veste ou come,  fala muito sobre o que ela é. O que ela faz, diz muito mais do que ela fala sobre si. E neste aspecto em específico, o gosto de cada um quando exposto, serve apenas para se definir se esta pessoa é adequada ou não para ser mantida próxima.

Perfis com fotos apresentando qualquer tipo de nudez de foco ginecológico, urológico ou proctológico não me emocionam. Na verdade, nem me chamam a atenção. Pessoas que gostam disso ou produzem esse tipo de material, não fazem parte do tipo de pessoas que gosto de ter por perto.

Do mesmo jeito que um submisso pode lançar mão do recurso da safeword para dar fim a um processo não prazeroso, podemos simplesmente não dar audiência para a mensagem que nos afronta.

O que recomendo nesses casos, onde a informação transmitida não esteja dentro das suas expectativas mínimas de qualidade, faça como eu, use do seu direito inalienável de não ver ou não ouvir a informação, afinal de contas, “engolir” o que faz mal não é uma opção.

Bom gosto no BDSM (e em todo o resto) Bom gosto no BDSM (e em todo o resto) Reviewed by GLADIUS MAXIMUS on novembro 23, 2011 Rating: 5

9 comentários

  1. Comentar o que?
    Apenas louvar: simplesmente perfeito!

    ResponderExcluir
  2. Agora que voltou...devo dizer que esse foi sem dúvida um Post que não irei mais esquecer...
    Devemos ter um gosto apurado para tudo o que é bom, porém respeitar o direito do artista de fazer e pensar sua arte.

    Um beijo!

    ResponderExcluir
  3. Tem algo no seu Formspring dizendo para ter cuidado com as perguntas...rs
    Quando li essa, confesso que esperava uma resposta mais 'bruta' e quebrei a cara.
    Você conseguiu, com delicadeza, dizer o que é certo ( a meu ver ) nessas situações!
    'Não gosta do que vê, mude a direção do olhar'
    Como sempre...sensatez extrema!! Delicado, gentil!

    Amo você, beijos.

    ResponderExcluir
  4. Anônimo9.12.11

    Por muito tempo eu achei que estava sozinha,me via em estradas desertas e sentia desejos por frutos proibidos,o medo de falar era como um fogo que queima a pele.Por muitas vezes fui criticada e julgada pela minha personalidade.Felizmente descobri que ser uma Domme requer uma busca incasável pela o que esta mais escodindo e obscuro,descobri o prazer e descobri tambem a parte ruim, o quando as pessoas se enganam quando acham que as práticas de BDSM se mostram com o nudismo de uma forma grotesca,não culpo e nem julgo quem posta, mas é triste saber o quanto muitas pessoas precisam aprender !!

    Madeleine Karva

    ResponderExcluir
  5. Anônimo17.12.11

    Livre arbítrio. Ter o poder de escolher suas ações. Algo simples e sensato que as pessoas esqueceram que existe. Talvez seja essa busca incessante do ser humano de agradar a todos sejam gregos ou troianos, essa busca pela tal "unanimidade" que você citou no texto que tornou as pessoas menos exisgentes para com seus próprios desejos e mais observadores com as ações alheias. Faz diferença o que o outro faz ou deixa de fazer, ou até mesmo como faz? Se eu sou dono(a) de minhas ações e senhor(a) de meus desejos, o que o outro venha fazer eu respeitarei, entretanto,, não terá influência alguma sobre mim. Absorver o que é útil e descartar o resto. Não sei se faz sentido para alguém minhas palavras, porém ao escrevê-las fizeram muito sentido para mim.

    ResponderExcluir
  6. Parabéns! Seus posts como sempre são maravilhosos.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Oi.
    Vim te desejar um ano novo espetacular em sua vida.
    Sejas feliz.

    ResponderExcluir
  8. Venho com carinho trazer o selo de meus quatro anos no BDSM de presente...

    Quatro anos vividos com intensidade...

    bjs de mel

    ursinha

    ResponderExcluir
  9. Como sempre, incrível texto.

    ResponderExcluir