Relações Virtuais

Qual sua opinião sobre as relações puramente virtuais, há possibilidade de uma relação ser fortalecida sem contato físico?

Basta que pessoas se conectem e flua algum tipo relação. Tenho excelentes amizades que começaram de forma virtual. No caso específico da sua pergunta o meio virtual serve para o começo de uma amizade, que acho ser a porta de entrada para qualquer relação.

Quanto à relações puramente virtuais de amizade acredito que as chances de fortalecimento são boas. Para relações BDSM, só existe relação depois de outros fatores terem se alinhado e são fatores bem físicos.

Acho que começar uma relação de forma puramente virtual, quando o objetivo desta é especificamente servir para que as partes se conheçam e adquiram alguma segurança para a relação se tornar real no futuro, completamente lícito e em alguns casos extremamente necessário.

Virtualmente você só pode checar a compatibilidade intelecto cultural e mais nada. Relações mais simples do mundo baunilha só evoluem com existência daquela química... aquela atração física difícil de explicar e só se consolida com a proximidade física... olhos nos olhos, cheiro, sabor e toque entre outras coisas.

Para relações mais elevadas como no BDSM além destes já citados, se faz necessário a confirmação de um efeito que chamo de D/s. Um misto de intimidação e segurança por parte da posse... de poder e guarda por parte do Top. Se a química seria impossível de se verificar sem ser ao vivo e a cores, imagine o efeito D/s. 

Se bem utilizada, a relação virtual vai servir para testar a paciência e firmeza de propósito, pois os parceiros tem que sustentar em palavras seu estilo, inteligência, cultura e consistência como adepto do BDSM. Coisas que se falsas, são difíceis de se sustentar por muito tempo.

Não posso dizer que essas brincadeirinhas de masturbação física e mental do sexo e da “dominação” virtuais não sejam válidas como passatempo e opção para os que têm um impedimento físico real como um casamento ou uma distância maior. Mas com certeza posso afirmar que não passam apenas disso, masturbação física e mental.

Acho absolutamente hilárias as pessoas que se mantém “virtuais” e se comportando como reais. Simplesmente não levo a sério nem a essas pessoas nem às suas relações quando se acham acima da masturbação física e mental.

Agora, depois de todos os fatores alinhados e confirmados pelo contato físico, todos os meios de contato a distância com certeza servem para fortalecer as relações que existem e especialmente as BDSM, pois o elo BDSM quando verdadeiro transcende tempo e espaço.

No Dicionário Houaiss, o primeiro significado da palavra Virtual é - existente apenas em potência ou como faculdade, não como realidade ou com efeito real.

Então, a minha opinião sobre relações puramente virtuais é alinhada com a principal definição da palavra virtual na língua portuguesa, ou seja, é uma relação puramente sem efeito real. Elas são BRINCADEIRA e não tenho absolutamente nada contra brincar.

Cabe aqui um pedido de desculpas aos meus queridos leitores habituais, mas algo que realmente me irrita é o hábito de se dar nomes a coisas que já tem nome e ver pseudodominantes achando que possuem e pseudoposses achando que pertencem, sem nunca ter nem olhado o parceiro de perto é demais. Esse ato irresponsável de dar e usar coleira de forma indiscriminada é no mínimo assustador, sendo pior ainda pelos que levam isso a sério.

GLADIUS MAXIMUS


► Relações Virtuais




Relações Virtuais Relações Virtuais Reviewed by GLADIUS MAXIMUS on agosto 17, 2010 Rating: 5

17 comentários

  1. Anônimo17.8.10

    idem, idem...

    Eu sou do tempo jurássico em que o dominador "farejava" e conquistava sua submissa. Foi assim meu começo. Fui literalmente encantada e seduzida até ser desnudada de meus pudores, transformada em uma fêmea real, pelo primeiro dono. Ou melhor, Dominador, pois para me cativar ele jamais usou um termo do que conhecemos como BDSM. Foi Dono e Senhor total da minha vida e dos meus prazeres.

    Como todo dinossauro, sou da era pré internet. E presenciei o surgimento dos primeiros chats (mandic, mirc,escravas e submissas, adeptos do BDSM)além de alguns corajoso sites. O contato virtual surgiu como uma forma mais fácil de se travar conhecimento e troca de idéias, era mais fácil e mais seguro, já que o anonimato era uma forma bastante confortável. Tive relações que começaram no contato virtual. Infelizmente, o oba-oba que se instaurou nos chats, onde qualquer zé-mané se diz dominador e qualquer maria-farinha se diz sub. E, para piorar, esses grupos de novatos, fakes e toda sorte de mentirosos, infestam os locais temáticos que (em tese) deveriam servir como porto seguro para um primeiro encontro, acabam estragando totalmente uma ferramenta que serviria para desmistificarmos nossas práticas.

    Infelizmente.

    Obrigada pelo post tão interessante.

    Alice

    ResponderExcluir
  2. Anônimo17.8.10

    Post interessante.

    Creio que o virtual serve para conhecermos as idéias uns dos outros. Como contato inicial, até mesmo para organizarmos as idéias, e mostramos nossos pontos de vista. Mas D/s não. Alguns podem até se iludir, se enganar. Mas, gente!!!! BDSM é um jogo sensorial,erótico e sexual. Sem o encontro, o contato fica apenas um "brinca de me dominar, enquanto brinco de ser submissa".

    Até sugiro uma questão ao Senhor GM, Dominar é dar ordens e submeter é obedecer?

    beijos de admiração e respeito

    izza

    ResponderExcluir
  3. Senhor GLADIUS,

    A pergunta da izza, tão simples, curta e objetiva, me gerou um tornado de pensamentos rs.
    Não cometerei a indelicadeza de responder a pergunta que Lhe foi dirigida, mas fiquei num alvoroço só aqui. Então corri no Formspring, abri a conta e deixei lá uma das minhas dúvidas..Espero ter perguntado da maneira correta.
    Abraço respeitoso.

    ResponderExcluir
  4. Acredito SIM que possa surgir algo á partir do virtual, porém tem prazo de validade! Independente do tipo de relação aliás...amizades podem ficar eternamente nesse esquema, eu mesma já fiz ótimas amizades e conservo com muito carinho até hoje, pela distância e por alguns outros motivos o contato maior nesses casos, terminam em telefonemas, no máximo! Mas como não estamos falando apenas de amizade aqui, se não houver um 'face to face' depois de um certo tempo, passa a ser surreal ( e há quem se contente com isso ). Então, depende da busca de cada um. Muitas vezes pode ser conveniente para alguns um 'caso' via net, mas acho que corre-se um risco muito grande. Algumas pessoas acreditam que não é possível afeiçoar-se por alguém dessa forma, e deixam rolar...quando dão por si já estão envolvidas, já existem sentimentos e não (talvez nunca tenha existido) a possibilidade de passar para o real! Minha opinião, na minha posição atual...
    No BDSM nem imagino como seria, pois acho que a presença física, nesse caso é insdispensavel (eu nem imaginava esse lance de coleiras apenas pelo contato virtual...choquei!) senão como você mesmo disse não vai passar de uma brincadeira! Cada um finge que faz sua parte e está tudo certo? No mínimo, ridículo...me desculpe os que se encontram nessa situação!! Não imagino como alguém pode doar-se, de forma plena, entregando sua obediência, corpo e todo o resto para outra pessoa sem sentir a energia, a respiração, o sabor, o que causa dentro de si a presença daquela pessoa...mais ainda: o olhar, que para mim diz tudo! E mais, será possível saber se uma pessoa é a posse que se quer ter sem uma boa conversa olho no olho, onde não se tem para onde fugir? Nessa hora acontece ou não...e isso a net não é capaz de substituir NUNCA!

    bjO!

    Bell

    ResponderExcluir
  5. Meninas

    Fico feliz pelo seu comentário e elogios. O importante é se separar bem as coisas.

    1. Você tem todo o direito de sentir o que quiser e de brincar do que quiser. E esse estado de brincar é todo seu e você pode mesmo imaginar dentro disso que vive um estado de Dominação e posse, que tem um Dono e até mesmo que vive um estado de entrega completa. É o direito que você tem de fantasiar sobre o quer quiser e isso pode ser feito a dois ou mais pessoas sem problema.

    2. A coisa toda começa a complicar se você estende para além da imaginação e começa a acreditar que o virtual é real. Isso indica um cenário perigoso de alguém que se deixa manipular por alguém que não “conhece”. Se esse perigo de manipulação já existe no contato real, quando virtual esse perigo aumenta exponencialmente.

    3. De fato, chamar uma relação virtual de relação BDSM real é algo surreal mesmo. Bell, de agora em diante vou chamar as relações virtuais dos que dizem que está havendo entrega completa de RELAÇÕES SURREAIS.

    No mais, obrigado pelos comentários ricos e deliciosos.

    G.M.

    ResponderExcluir
  6. O virtual é o exercício da tentativa...
    um lugar onde podemos construir coisas para dar conta das faltas.

    Nunca esquecendo que a escuta é importante, a fala... perceber odores, sentir o toque.

    Nunca ser mais real na virtualidade do que nas relações pessoais...
    A falta do olhar do outro deve ser sentida sempre.

    ResponderExcluir
  7. Boa noite!

    Será que o pouco que aprendi aqui em quase um ano não conta? Está tudo errado???

    Submissa no virtual já fica com um tesão imenso apenas ao ouvir o "oi" muito meigo do seu DONO (meu caso)...imagine no plano real!!! Ela cairá de boca aos pés dele...subirá lambendo as suas pernas e irá parar aonde ELE desejar...se é que ELE deseja!!!

    "A falta do olhar do outro deve ser sentida sempre"...acredito que aí entra a "submissa de alma" e até o "24/7", pois a sub age como se estivesse sendo observada e sente-se sub todo o tempo, mesmo sem a presença física do DONO...

    onde quer que ela esteja, seu DONO está sempre em sua mente...ela O deseja a cada segundo...

    *nota: Sinto tesão apenas com o "oi" Dele...a química já está pronta aqui!!! Porém o mesmo pode não acontecer com ELE...

    "A coisa toda começa a complicar se você estende para além da imaginação e começa a acreditar que o virtual é real"...quer algo mais gostoso do que imaginação???? rs

    Vivo uma "relação surreal BDSM" praticamente sem a presença...esquece!!! *risos

    Vivo uma Deliciosa Relação...não importa o nome que tenha...infelizmente apenas no virtual!!!(por enquanto)

    Cordiais saudações!

    ResponderExcluir
  8. gostei do debate ...
    é um assunto no quel eu sempre penso e consverso muito ... Perdi meu blog anterior, há mais ou menos um mês, com mais mais de 600 pessoas interaguindo através dele ... e fiz diversos, mas muitos mesmo, amigos virtuais através dele ... Hoje estou recomeçando e o bom é que já encontrei pessoas novas ...

    realmente, se for somente amizade, pode-se levar adiante a relação e ele se fortificará ...
    o namoro precisa do presencial ...

    eu sou uma otmista e vejo que a web somente nos aproxima mais ...
    claro que se deve ter cuidados .. é como encontrar uma pessoa pessoalmente, há que se ter cuidados, pois existem os chatos ou perigosos como na 'vida real' ...

    bem .. gostei do blog .. tem debates profundos e consistentes ...

    beijos

    ResponderExcluir
  9. Bruma

    Nunca disse que o virtual não é válido ou pouco intenso. Só disse apenas que o virtual é virtual, uma brincadeira e só. Falo apenas do erro em se dar poder a alguém que não se conhece pessoalmente. Um erro bem comum cometido pelas pessoas presas ao virtual por um motivo qualquer é que quando, a partir de sua prisão, vislumbram através da janelinha do computador a toda uma vida de possibilidades e se perdem pela vontade e por não saber lidar com tudo o que vêem.

    Reitero que no virtual você brinca de se submeter e o outro brinca de dominar. Você pode dentro destes parâmetros levar a brincadeira próxima do real (para isso o virtual) e obter disso todo o tesão que puder absorver. Claro que isso serve como uma deliciosa porta de entrada para o real, onde aquele seu “tesão imenso” se transforma em “cair de boca aos pés”. Essa é a verdadeira estrutura do poder, pois o dominador só existe a partir do momento que é investido de poder pela posse e dar poder a quem você não conhece de fato é algo particularmente perigoso. O poder deve ser conquistado no sentido do merecimento e não da força e isso só acontece tempo e vida.

    G.M.

    ResponderExcluir
  10. Curiosa

    Chateado pela perda do seu Blog. Faço um backup completo do meu, tanto do conteúdo quanto do design.

    Bacana essa vontade de recomeçar. Sou um otimista também.
    Feliz pela sua participação e elogios.

    G.M.

    ResponderExcluir
  11. Caro Gladius

    Mais um brilhante texto, a descoberta de si proprio e o melhor da vida.....meus parabens

    Grande Abraco

    Sir.MARTINS®

    ResponderExcluir
  12. Engraçado...pelo blog da Curiosa que eu vim parar aqui!! Por parar aqui, no momento certo aliás, é que REABRI minha 'caixa da verdade'. E vejo, através do comentário dela que...a própria Curiosa nem era presença habitual em seu blog. Isso reforça minha idéia de que, o universo conspira para alguns encontros, sem que tenhamos o mínimo controle sobre isso! E acho cada dia mais fascinante essa minha teoria...
    Mais uma evidência que virtual e real tem semelhanças gritantes. Encontros com o 'inesperado' acontecem a todo momento, cabe a nós levar a diante ou não...porém, nos cercar de cuidados é inteligente nos dois casos. E que cada um seja feliz da forma que desejar, sem rótulos!
    'O virtual não seria oposto ao real. O virtual pode ser oposto ao atual, porque o virtual carrega uma potência de ser, enquanto o atual já é.'

    bjO

    Bell

    ResponderExcluir
  13. Sensacional a discussão.Concordo com o Sr., na minha opinião não existe dominação e submissão sem o presencial.Tudo bem o virtual funciona na fase de conhecimento das preferências dos dois. Mas isso não deve perdurar por muito tempo porque fica uma coisa chata e sem nexo.Eu particularmente tive o primeiro contato com o bdsm através do meu Dono que o conheci de aqui na rede sem maiores prentensões de ser tornar um relacionamento no estilo D/S. Conversamos muito e ele foi me mostrando esse mundo que pra ele também é novo. Observo que infelizmente tem muita gente que nem sabe que faz, que não tem noção da dimensão do que é ter a vida de outra pessoa nas mãos, isso é mais sério do que se possa imaginar. Podemos acabar psicologicamente com uma pessoa. Por isso acho que fica impossível viver no universo BDSM virtual eternamente.BDSM é sentir o outro ,ter o outro. Pra mim BDSM na internet não passa de uma brincadeira que poder ser bom ou ruim até quanto dure. Eu já estou indo para a real e vou me encontrar com meu Dono.Ainda teremos nosso primeiro encontro. Parabéns Sr. Gladius pelo blog .São pessoas como você Mestre K. que ainda enalteceem ,valorizam e dão credibilidade ao universo BDSM

    ResponderExcluir
  14. Anônimo2.5.11

    Caro Gladius, suas observações são maravilhosas e como estou no processo inicial de aprendizagem no universo bdsm, sempre me são de grande valia. QUero entender em que me enquadro: se top ou dominador, qual a diferença? Criei esse nome aqui para saberdes que sou a parte que domina, que gosta de possuir, de ter. Gostaria de entender melhor isso. Sei que minha escrava escolho e sei que com ela mesmo saberei o que fazer, mas ainda tenho dúvidas sobre como usar a bondage, shibaru, como é que dou a coleira ou ela que escolhe sua coleira?

    Sua Dona e Senhora

    ResponderExcluir
  15. Fico feliz e envaidecido que esteja gostando do Blog e das minhas observações. Esse é o tipo de coisa que me mantém estimulado a prosseguir com ele.

    Quanto a entender onde você se enquadra é relativamente fácil... ou você manda ou obedece. Ou então, oscila entre um pólo e outro conforme a sua vontade. Todo o resto são rótulos e posturas que variam de acordo com seus parceiros, seu aprendizado e evolução. Ou seja, isso vem com o tempo, com a boa e velha kilometragem.

    Com relação ao Bondage, você não faz ou usa... Bondage é todo um universo de aprisionamento, embora seja comumente confundido com o simples ato de se amarrar uma pessoa. Já o Shibari é um universo em si mesmo, algo que está fora do BDSM, mas que faz com este uma grande fronteira, tal como ocorre no Universo da podolatria, entre outros. (Veja mais no texto Dimensões e Transição)

    Sendo assim, temos que Bondage não é BDSM, mas pode ser utilizado dentro do contexto de uma interação BDSM. E neste caso, é sempre bom lembrar que só existe BDSM quando há hierarquia na relação... ou seja, quando alguém está no controle. E para tanto, podem ser usadas diversas técnicas, nativas ou não do universo BDSM.

    A questão da coleira é bem ampla, mas para quem está começando tenha em mente que é algo muito sério, de importância similar ao casamento no mundo baunilha. Dessa forma, recomendo que não pense nisso... só os inconseqüentes, irresponsáveis ou sem noção distribuem coleiras de início.

    É por isso que costumo dizer que colocar coleira de imediato é como propor casamento a uma pessoa que acabou de conhecer e procurar por um Dono é como procurar por marido... claro que guardadas as devidas diferenças entre as relações que ocorrem no mundo baunilha e no universo BDSM.

    A grande verdade é que tudo ocorre em um nível superior ao dos Universos da sexualidade... um que ainda estou tentando entender completamente. O nível da relação humana pura, onde você se sente possuidor... ou posse.

    A não ser quando é por puro fetiche e farra... você não dá a coleira... e nem a sub escolhe... o que acontece na verdade é que desde o início o bottom escolhe Top como seu soberano e lhe dá poder sobre si mesmo. E do outro lado, o Top irá aceitar e exercer esse poder... ou não.

    As relações BDSM são bem simples e começam sempre com o Dominador/dominado e podem migrar com o tempo para a relação de Possuidor/posse. Iniciantes de ambos os lados do chicote, que tentam pular etapas, invariavelmente terminam sendo protagonistas de histórias com finais infelizes.

    Se você está começando... não tenha pressa... se concentre em sua transição definitiva do mundo baunilha para o Universo BDSM. Com o tempo, tudo ficará mais claro e você saberá exatamente quando a pessoa passou de dominada para posse.

    GLADIUS

    Resposta replicada no Post: http://www.gladiusbdsm.com/2011/06/bdsm-top-iniciante.html

    ResponderExcluir
  16. As relações virtuais não conseguem se firmarem muito tempo. O contato q sela esse lindo começo,

    Bjk@s

    ResponderExcluir
  17. Concordo plenamente com o virtual ser apenas uma brincadeira... Eu participo de algumas redes sociais e tenho muita curiosidade sobre o quão envolvidas as pessoas ficam nesse ambiente e realmente fico preocupada...
    Se corremos o risco de nos iludir no mundo real, olhando nos olhos das pessoas, sentido na pele o contato e tudo que a presença nos permite para avaliar afinidades, o mundo virtual prolongado pode ser desastroso. Sim, ele permite que tenhamos os primeiros contatos e vejamos a afinidade intelectual, mas muitas pessoas deixam-se levar por falsas imagens e ilusões que são alimentadas pela maior duração do contato. Sim, temos tudo isso no mundo real, mas o virtual trabalha a imaginação como raramente vi acontecer no dia a dia e essa imaginação leva a fantasias e a expectativas irreais. É como se tornar personagem de um romance que você e outra pessoa estão escrevendo... e a maioria das histórias não têm finais felizes

    ResponderExcluir