16.2.16

Atualizações e Novas Versões - 10.0 - Palavras que Doem

"Tenho muito mais passado do que futuro.

Quero a essência e a minha alma tem pressa...

Vou caminhar perto de coisas e pessoas de verdade, pois essencial faz a vida valer a pena.

E para mim, basta o essencial!"

E com estas palavras retiradas do texto "O Tempo Valioso dos Maduros", de Mário de Andrade, eu começo a descrever a trajetória que percorri nessa minha décima transição.

O texto me foi mandado por uma pessoa muito especial... Uma certa Gata de Botas... E me foi enviado no momento exato no qual eu precisava lê-lo.

Ela me mandou com a seguinte observação:

"As cinco primeiras linhas são tristes e limitadoras, pule-as... O restante, é o que sinto."

Minha resposta foi:

"Estamos em sintonia. Sempre senti isso... Desde quando tinha muitas cerejas."

E esse texto, apesar de ter chegado em um momento excelente, demandou quase seis anos para que eu pudesse ter sua compreensão por completo. Ele me arremessou em uma viagem interior, da qual só emergi agora. É a síntese do meu atual momento e, com essas palavras, estou emergindo do casulo da minha décima transição, para mais uma nova etapa da minha vida.

Transições que doem 

Uma das coisas que aprendi nos últimos anos, mais pela dor do que pelo amor, foi que a “Transição” do Mundo Baunilha não é única e que, na verdade, passamos (algumas pessoas mais do que outras) por várias transições por todas as regiões da nossa vida.

E essa é a minha décima. Não sei se pelo número emblemático ou se por estar coincidindo com o meio século de idade que atingi recentemente, está sendo de longe a mais difícil e dolorosa.

Comecei voltando ao blog para reler tudo o que tinha escrito e checar se as ideias, de fato, correspondiam aos fatos. Percebi várias lacunas e pensei que isso daria um bom livro, onde disporia da oportunidade, para quem tivesse essa paciência, de penetrar fundo na alma de um Dominador e, quem sabe, entender que somos pessoas normais... Mas nem tanto.

Comecei a levar adiante essa "brilhante" ideia de escrever um livro à partir da compilação, revisão e atualização dos textos do Blog "Diário de um Dominador", que traz minhas conclusões sobre o universo BDSM a partir do que vi e vivi.

Somando a esses dados alguns novos textos - que cobririam as tais lacunas - e mais algumas histórias reais, pude chegar à algumas conclusões.

O livro que dói

A ideia era que, mostrando os caminhos que trilhei para chegar aonde cheguei e a ser o que eu sou, o leitor pudesse entender um pouco a criatura misteriosa e rara que é o Dominador.

De cara, percebi que escrever um livro é algo bem diferente de escrever textos para um Blog. Pior ainda quando é uma autobiografia, pois o escritor é a pessoa mais suspeita para falar sobre si mesmo. Mas a maior dificuldade não é apenas essa.

Um livro, seria basicamente uma consequência e evolução do trabalho com o Blog, que criei pela realidade de existir pouco material sério e disponível sobre fundamentos e filosofia BDSM. Depois de seis anos e quase duzentos textos, consolidar todo esse material em um formato fácil de ser consultado e absorvido era o óbvio.

Peguei todos os textos, cruzei com uma lista de sugestões de amigas e do meu grupo no Facebook "Papo com Gladius", acerca dos tópicos, para formar os blocos fundamentais do livro.

Para a leitura não ficar técnica (e nem chata) demais, resolvi entremear esses blocos com uma “argamassa” (minha vida), formada principalmente pelas histórias reais que me levaram a chegar às conclusões que cheguei.

Preenchendo Lacunas

Foi bem na hora da fabricação da argamassa que a minha viagem começou de verdade, pois nunca tinha de fato parado para pensar nas razões de muitas coisas e, talvez, seja por isso que tenha escrito tão pouco (ou quase nada) sobre dominadores.

Sempre digo que a “Transição” é uma viagem interior, solitária e que termina sempre quando nos confrontamos com a nossa verdade e a aceitamos. O real objetivo dessa transição é a busca da paz interior. Um pouco de ordem emergindo do caos inerente a “ser” humano.

E com a iniciativa do livro, me coloquei em uma rota de colisão com as minhas verdades de forma inconsciente. Pela primeira vez, tive de voltar ao começo e examinar cada detalhe, cada passo, fato, decisão, erro, acerto e consequência. A experiência de revisitar as minhas origens mudou tudo em termos de prioridades, nesse momento da minha vida.

Olhando para dentro

E doeu. Esse período último de transição foi de longe o mais crítico que já passei e os reflexos disso ricochetearam por todos os cantos da minha vida. Não dormia bem, não tinha mais vontade de escrever e nem de frequentar mais o meio BDSM.

Me limitei a comparecer de forma pontual a alguns eventos e a ajudar pessoas que se aproximavam de mim perdidas... Mesmo eu estando perdido também.

Foi uma busca frenética para entender a razão da enorme insatisfação generalizada que estava atravessando. Mas, é assim que começa uma transição... Exatamente no momento em que não nos satisfazemos por completo, no lugar onde estamos.

Tudo parecia certo, mas ainda assim não me sentia confortável no lugar que eu ocupava. Mas o que falta para alguém que é o Dono do seu próprio mundo? Alguém que, tecnicamente, tem tudo o que precisa?

Essa minha viagem interior por causa do livro me fez ver que preciso de mais, muito mais. Para produzir um livro, cuidar do Blog e do que me pertence, necessariamente preciso estar completo e em equilíbrio. Simplesmente não consigo isso vivendo uma meia vida BDSM e um estado de sobrevivência profissional em outras áreas, fora do BDSM, mesmo sendo coisas dentro de um nível razoável de tolerância.

Dentro das minhas escolhas primordiais, uma das mais importantes foi a de fazer somente coisas que me dessem prazer, incluindo o lado profissional. Sempre segui essa premissa à risca, e desde sempre me divirto muito trabalhando.

Mas, a questão aqui, vai além da diversão, pois se situa no foco do assunto. O gasto de energia é muito grande quando você quer viver em um universo, mas trabalha em outro. Invariavelmente, não darei o meu melhor nem em um lugar e nem no outro.

Isso tudo ficou muito claro na tentativa, inicialmente infrutífera, de escrever a minha autobiografia. A falta de equilíbrio ficou completamente exposta e me sugou para dentro dessa transição, que atravesso agora.

Sem a paz do equilíbrio, nada flui.

Emergindo

Não sei se de fato esse livro vai ser publicado, pois talvez o esteja escrevendo apenas para os meus olhos, e está me fazendo olhar diretamente para o meu abismo interior e para a minha essência. De agora em diante e mais do que nunca "Vou caminhar perto de coisas e pessoas de verdade, pois essencial faz a vida valer a pena. E para mim, basta o essencial."

GLADIUS MAXIMUS



##########     ##########


O Valioso Tempo dos Maduros

Contei meus anos e descobri que terei menos tempo para viver daqui
para a frente do que já vivi até agora.
Tenho muito mais passado do que futuro.
Sinto-me como aquele menino que recebeu uma bacia de cerejas.
As primeiras, ele chupou displicente, mas percebendo que faltam poucas, rói o caroço.
Já não tenho tempo para lidar com mediocridades.
Não quero estar em reuniões onde desfilam egos inflamados.
Inquieto-me com invejosos tentando destruir quem eles admiram, cobiçando seus lugares, talentos e sorte.
Já não tenho tempo para conversas intermináveis, para discutir assuntos inúteis sobre vidas alheias que nem fazem parte da minha.
Já não tenho tempo para administrar melindres de pessoas, que apesar da idade cronológica, são imaturos.
Detesto fazer acareação de desafectos que brigaram pelo majestoso cargo de secretário geral do coral.
'As pessoas não debatem conteúdos, apenas os rótulos'.
Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos, quero a essência,
minha alma tem pressa...
Sem muitas cerejas na bacia, quero viver ao lado de gente humana,
muito humana; que sabe rir de seus tropeços, não se encanta com
triunfos, não se considera eleita antes da hora, não foge de sua mortalidade,
Caminhar perto de coisas e pessoas de verdade,
O essencial faz a vida valer a pena.
E para mim, basta o essencial!

Mario de Andrade

(Atualizado a partir de um texto publicado em originalmente em 02/03/10 08:49 com o título de Leituras Felinas)


GLADIUS MAXIMUS






>>>>>>> Deixe seu comentário e compartilhe!

8 comentários:

  1. Bom dia,

    de fato, isso deveria ser o essencial para que todos nós, vivemos bem e em paz com nós mesmos e com os outros.

    Mario de Andrade ja sabia das coisas e nem comia cerejas ainda...rs

    Beijos carinhosos e respeitosos,

    ÍsisdoJun

    ResponderExcluir
  2. Isis...

    Postei este texto para vc (leia-se pessoas como vc) que enxergam além.

    Que são puras de alma e escolhem viver de acordo com a própria natureza.

    A vida é curta mesmo... vamos mastigar bem devagar essas cerejas.

    Beijo a vc e um abraço ao Jun.

    G.M.

    ResponderExcluir
  3. Hola Amo:
    Soy Loli, una esclava recién iniciada y me gustaría mucho poder leer su blog.
    Sería mucha molestia solicitarle incorpore al mismo un traductor?
    Un beso enorme y respetos de mi Amo Paul.

    P D
    Muy perturbadora su foto...

    ResponderExcluir
  4. '' Já não tenho tempo para lidar com mediocridades.
    Não quero estar em reuniões onde desfilam egos inflamados ''

    Tudo em duaas frases.

    ResponderExcluir
  5. Perfeito única palavra que me vem a mente...bjos carinhosos
    Senhor Gladius😘

    ResponderExcluir
  6. Anônimo24.2.16

    Seguindo no Youtube. Nossa, não entendo nada de Dom e Sub + sua voz é imponente, forte, logoooo, só se enquadraria em DOMINANTE . Parabéns

    ResponderExcluir
  7. Anônimo24.2.16

    Ola gladius,

    Sou Top iniciante desde de sempre minha buttom sempre quis um relacionamento BDSM nós estamos iniciando essa transição porém por mais estranho que pareça eu não tenho noção sobre como treinar bem ela, se existe alguns objetivos claros ou métodos genéricos para que ela sirva melhor. Por que parece que ser um bom treinador depende de objetivos ou metodos bem definidos que pra mim são totalmente abstratos.
    E algo que não quero ser é indeciso na hora de agir.

    ResponderExcluir
  8. Somente o essencial nos basta.
    Mario de Andrade... Muito bom.
    O essencial de hj não é mesmo do de ontem.
    Daqui não levamos nada, apenas os amigos q conquistamos, sem ter q dar nada em troca; a família q nos ama, incondicionalmente; e uma carga de aprendizado enorme de tudo q passamos e q nos fez sofrer e sorrir.
    A quantidade passa a não ser importante e a qualidade é q importa.
    Hj separo o joio do trigo com mais facilidade, e o simples me engrandece, me fez sentir mais humana e ser mais humana, e muito mais feliz.
    Hj vejo q pessoas sérias do D/s somam muito mais do as bau com quem convivi; somos diretos, objetivos, expomos nossos sentimentos abertamente e não julgamos os de ninguém.
    Como o tempo faz bem.

    ResponderExcluir

Blog sobre relacionamentos, dominação, submissão, fetiches, sexualidade e estilo de vida BDSM. Dominador puro e natural, habitante do Universo BDSM 24/7, cara de mau, mão pesada, bem-humorado para poucos e como John Wayne... Feio, forte e formal.

>>> LEIA MAIS

CONSULTORIA

IMPORTANTE!

Todas as práticas, atividades e comportamentos relacionados ao BDSM devem ser realizados dentro dos limites do SÃO, SEGURO E CONSENSUAL.

Para além do S.S.C. e da hierarquia, que são conceitos básicos e fundamentais dentro das relações BDSM, tudo o que eu falo representa apenas a MINHA VISÃO sobre esse universo.

Quando falo de dominadores, submissas e relações... vale para todos os gêneros e combinações. O que importa é a posição hierárquica da parte, ou seja, se é dominante ou submissa.

F.A.Q.

Diário de um Dominador: comece por aqui!

Criei este blog com o objetivo de compartilhar a minha jornada como Dominador e ajudar outras pessoas que estão em busca de autoco...

NOVIDADES

BATE-PAPO