ATENDIMENTO VIA SKYPE

19.7.15

NTONS

BDSM, iniciantes, 50 tons de cinza, fetiche, ntons, n tons
Chamo de transição o momento em que, não cabendo mais na realidade em que vive o indivíduo depois que a situação fica insustentável, migra para uma realidade aonde venha a se sentir confortável.

Transições podem ocorrer em todos os aspectos de nossa vida e são desencadeados pelos mais variados motivos. E os que não se movem, invariavelmente, passam a viver uma vida triste e incompleta.

A insatisfação que nos leva a uma transição pode ter relação com a atividade profissional, lugar onde se vive e até com as pessoas com quem interagimos. A transição é inerente ao "ser" humano.

Falando em termos de sexualidade e relações afetivas, nascemos e somos criados dentro de um formato básico de relações, que nos círculos superiores é conhecido como Mundo Baunilha. E baunilha, para resumir é o modelo de relacionamentos que engloba namoro, noivado, casamento, concubinato e amantes.

A transição nessa área começa quando estes formatos de relacionamento não nos bastam e passamos a buscar por outras possibilidades, que normalmente nos são apresentadas por livros, filmes, amigos ou parceiros que já conhecem outras maneiras de se relacionar.

Acima do mundo baunilha existe uma camada caótica de fetiches e acima dela, alguns Universos mais organizados, contendo variadas formas de se relacionar afetivamente. E o que acontece é que de tempos em tempos algo numa boa história chama a atenção de uma grande massa de pessoas e isso desencadeia um grande processo de transição.

"História de Ó" e "Nove Semanas e Meia de Amor" foram bons exemplos disso nos anos 70 e 80. São histórias intensas que com um tom muito próximo da realidade levaram multidões a se questionarem se o que viviam era o suficiente.

Hoje em dia, é a trilogia dos 50 Tons de Cinza que está servindo como gatilho para este movimento que com uma história de príncipe encantado em versão "lado negro da força" sacudiu com a libido de milhões de mulheres pelo mundo.

Uma das coisas importantes que percebemos com a transição é que as coisas vão além do preto e branco do mundo baunilha. Não sei bem se era isso que a autora do livro "50 Tons" quis dizer com o titulo das suas histórias, mas a metáfora é bem adequada.

A questão é que na verdade existem infinitas cores entre o infravermelho e o ultravioleta.... mas isso é algo que começamos a perceber depois de muitas transições.

As histórias que trazem as pessoas para os outros universos de relacionamento não contam tudo. Não trazem a informação completa para que os que resolverem passear por estes lugares diferentes estejam preparados para o "todo".

Nem tudo são flores e existem muito perigos neste grande e desconhecido terreno aonde muita gente acaba se machucando (às vezes literalmente). 

Circular nesses outros universos é como se jogar em uma mesa de cacife alto, pois se por um lado podemos obter níveis de prazer e intensidade imensos, também imensos são os riscos de danos (físicos e psicológicos) quando as coisas dão errado. 

E para cobrir essa pequena brecha que criei a iniciativa N TONS, abordando assuntos correlatos às relações afetivas e a sexualidade de forma simples e direta, dando suporte para quem quer ver e experimentar o que existe além.

Vamos falar sobre o que existe de real nestes livros e filmes e também sobre as mais variadas formas de se relacionar e sentir prazer, dando espaço para perguntas, debates e colaborações.

Enfim, a ideia é dar um mínimo de preparo e condições para quem quer melhorar a sua vida sexual, seu relacionamento e até para quem quer alçar voos mais altos.

Agora é só entrar e ficar a vontade. Bem vindos a N TONS.

GLADIUS MAXIMUS
>>>>>>> Deixe seu comentário e compartilhe!

13 comentários:

  1. Sua iniciativa vem de encontro ao atual momento em que vive a maioria dos praticantes de BDSM ! Pior, lindas amizades , momentos de intensa harmonia entrega e tantos outros relacionamentos vividos no BDSM estão se desmoronando ! e o que vejo e sinto é uma centena de pessoas tristes, decepcionadas, frustradas e/ou traumatizadas...
    Neste momento, precisamos invocar a liturgia, o bom costume , nossas convenções e talvez nos fechar em um mundo somente nosso !
    Desculpe o desabafo amigo !
    Saudações.
    Domenic - Dom Cvls 

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Saudações Domenic

      Existem muitos círculos de relacionamento humano... e dentro deles muitos outros círculos. É absolutamente natural, se fechar dentro de grupos.

      Não existe uma forma exata de se viver BSDM da mesma forma que não existe uma forma de se acreditar em divindades. Cada um faz da sua maneira e as mais bacaninhas são seguidas por grupos maiores.

      Outro fato é que a imensa maioria de quem acha que vive BDSM não o faz de forma consistente, ou seja, sem verdade e hierarquia.

      Senti essa sua tristeza muitos anos atrás e o que me deu força para continuar minha estrada e produzir esse Blog,não foram os 98% dos perdidos e "sem noção" que caem de paraquedas no BDSM. Foram os 2% de pessoas verdadeiras e com a real intensão de viver isso tudo de verdade.

      Então companheiro, faça como eu... Se mantenha firme no seu caminho de Dominante e guia para os iniciantes que realmente tenham valor.

      Abraço

      Excluir
  2. Anônimo20.7.15

    Gostei, sou iniciante nesse universo e apesar de ler e pesquisar muito ainda tenho muitas dúvidas e até medo. Acho muito difícil encontrar uma pessoa no qual eu possa entrega minha total confiança hoje em dia, mais fico na esperança de um dia encontrar e finalmente me sentir completa e sair dessa escuridão q é a minha vida. Obrigada Senhor, gosto muito de ler o que o Senhor escreve.
    Beijos de Nany

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sei como é... para mim não é muito diferente isso de escolher quem vai ficar por perto. O que recomendo é que não desista e mude a abordagem.

      Não precisa necessariamente começar na busca por alguém para uma relação de entrega completa. Na verdade isso é tão estranho quanto buscar alguém para casar de imediato.

      Então, faça a coisa pelo caminho normal. Conheça pessoas, faça amizade, interaja com grupos, se informe e na medida do possível, "namore" com parceiros BDSM. Pode acontecer em algum momento que venha a conhecer alguém digno da sua confiança, entrega e submissão.

      GLADIUS

      Excluir
  3. Anônimo24.7.15

    Senhor Gladius eu sou uma submissa e estou me relacionando com um Dominador e gostaria de saber sua opinião a respeito dessa situação: eu gosto de ser dominada e castigada, mas ele não gosta de me machucar, mesmo eu implorando, e isso me deixa um pouco frustrada. Qual a sua opinião sobre isso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que um bom Dominador sempre vai buscar caminhar pelos limiares de tolerância da sua parceira. Também acho que um Dominador só existe quando e enquanto tem alguém para Dominar, ou seja, é o poder que você dá ele que faz a relação existir.

      Então, antes de Dominante/submissa e homem/mulher, vocês são seres humanos adultos interagindo. Logo, uma boa conversa deve resolver.

      E se ele de alguma forma não correspondes ás suas expectativas te nutrindo das coisas que a completam, só resta a você buscar outro parceiro que esteja mais alinhado com as suas necessidades.

      É óbvio que não existem relações de perfeitas da mesma forma que não existem pessoas perfeitas. A busca é sempre pelo que melhor se encaixa.

      Portanto, se este não evoluir para se encaixar melhor em você, cabe a você decidir se o que ele lhe oferece basta... ou não.

      Excluir
  4. Oi querido. Sempre passando aqui e aprendendo contigo. Meu carinho e admiração sempre.

    ResponderExcluir
  5. Anônimo12.8.15

    Boa tarde.

    Nao tenho nenhuma experiência BDSM, mas gostaria muito de conhecer mais, ja tive alguma relação com parceiros nao dominadores que tinham uma certa "mania" de dominio, coisa q eu adorava ... Mas ate entao não conhecia nada sobre o universo BDSM.... E estou amando tudo q leio ... E sinto muiiita vontade de ser sub ....

    Parabéns pelo blog muiiito bom !

    ResponderExcluir
  6. Anônimo1.10.15

    Sr. Gladius leio sempre que possível o que escreve, para tentar entender o que passa em minha cabeça. Realmente existe uma transição, meio difícil de se entender. O maior problema que sinto e conseguir um contato neste mundo para poder conhecer, sentir e definir o que se passa em mim! Em alguns relacionamentos "baunilha" que tive e ainda tenho, por alguns dias são bons, após um tempo tudo acaba virando em jantares para criar algum prazer ou satisfação, e logo depois volta esse vazio! A pergunta que faço ao Sr. é a seguinte. Sou homem, hetero 26 anos, como devo me iniciar nesse mundo? Para de início conhecer e saber o que meinstiga. Abraço ao Sr.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pesquise, conheça pessoas, experimente tudo. Dominantes já vem com isso na genética... se tem dívidas provavelmente é um submisso ou switcher (que se completa tando dominando quanto se submetendo em relações diferentes).

      Para achar pessoas com os mesmos gostos que os seus, existem grupos no Facebook, Fetlife e WhatsApp, além é claro das casas e festas temáticas.

      No mais, é só seguir o fluxo fazendo as coisas que realmente te dão prazer.

      Excluir
  7. Anônimo20.12.15

    Oi! Acabei de assistir a um filme sobre o assunto e, após pesquisar um pouco, cai de paraquedas aqui no seu blog. Tenho um milhão de dúvidas e uma delas é se a relação D/S é exclusivamente sexual. Existem amizades com essas características? Onde posso conhecer pessoas online que sigam esses conceitos? Gostaria muito de conhecer melhor esses outros tons.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou colar aqui a resposta que dei num comentário antes deste, pois serve muito bem para você:

      "Pesquise, conheça pessoas, experimente tudo. Dominantes já vem com isso na genética... se tem dívidas provavelmente é um submisso ou switcher (que se completa tando dominando quanto se submetendo em relações diferentes). Para achar pessoas com os mesmos gostos que os seus, existem grupos no Facebook, Fetlife e WhatsApp, além é claro das casas e festas temáticas. No mais, é só seguir o fluxo fazendo as coisas que realmente te dão prazer."

      Excluir
  8. Ola Senhor,conheci este novo estilo de vida pelos filmes e vem de encontro com tudo que eu sou ,adoro dominar seja encasa ou no trabalho eu dito as regras masadoro ser dominada em momentos adois.

    ResponderExcluir

Blog sobre Dominação, submissão, comportamento, relacionamentos, sexualidade e estilo de vida BDSM.

*** Dominador puro e natural, habitante do Universo BDSM 24/7, cara de mau, mão pesada, bem-humorado para poucos e como John Wayne... Feio, forte e formal.

*** Quando falo de Dominadores, submissas e relações... vale para todos os gêneros e combinações. O que importa em uma relação BDSM é a posição hierárquica da parte (dominante ou submissa).

F.A.Q.

Diário de um Dominador: comece por aqui!

Criei este blog com o objetivo de compartilhar a minha jornada como Dominador e ajudar outras pessoas que estão em busca de autoco...

YOUTUBE