Chegada

Tanto para mim quanto para ela tudo começa bem antes...

quando combinamos...

quando eu a aviso do que virá em seguida...

em detalhes...

coisas que sempre acontecem.

Enquanto ela viaja vindo a mim...

eu também “viajo”.

E assim...

vamos amplificando...

intensificando...

vivendo tudo...

antes de acontecer.

Ela liga da estrada e diz...

estou chegando.

Eu respondo...

também estou chegando.

Encosto o carro e ela está lá...

de pé com a sua malinha.

Vim devagar...

quero que ela sofra...

quero a ansiedade na mistura.

Quando ela entrou no carro eu a algemei com as mãos nas costas...

A peguei pela nuca e deitei a sua cabeça no meu colo fazendo com que ela percebesse toda a minha vontade de devorar o que me pertencia.

Ela veio assim o caminho todo...

algemada e com a boca cheia com toda a saudade que eu sentia..

amordaçada pela fúria que pulsa e lateja...

vendo apenas a sua frente o volante e os pés que logo estarão pisando no seu rosto ao invés dos pedais.

Engraçado olhar os carros a minha volta...

ninguém faz a menor ideia do que acontece.

Os motoristas de ônibus e caminhões tem um ângulo privilegiado pelo retrovisor.

Controlando a distância...

as vezes deixo que vejam por alguns instantes...

sou um mau menino.

Parada obrigatória na padaria para comprar o pãozinho do café da manhã...

ela fica no carro...

ansiosa...

trancada...

algemada...

aguardando...

respiração ofegante pelo que tinha ocorrido...

e pelo que virá pela frente...

uma cena que já viu acontecer várias vezes...

e que só mudou pela brutalidade...

que aumenta a cada vez.

Voltei..

“delicadamente” a retornei a posição anterior no meu colo...

e fomos assim até a garagem.

As algemas apertavam seus pulsos sob a minha jaqueta de couro...

como sempre.

Chegamos na porta de onde ela sabe que vai ser seu calabouço....

sua prisão...

E como sempre, aviso...

se quiser desistir é agora...

se entrar...

não vai se pertencer mais.

Ela entrou...

como sempre.

Dentro da toca...

mão na nuca...

rosto pressionado contra a parede...

tiro o seu tênis...

a meia...

a calça jeans.

Arranco a calcinha pequena e delicada...

exponho a sua pele completamente depilada.

Solto as algemas...

tiro a blusa.

Recoloco as algemas...

a levo para o banheiro.

A água morna corre pelo corpo ajoelhado a minha frente.

A lavo como se lava a um animal de estimação...

ela é o meu animal de estimação.

Dou atenção a cada detalhe da anatomia...

exploro cada recanto usando da minha “delicadeza” usual.

Nada escapa.

Depois do banho a posiciono de quatro...

e a seco com uma toalha macia.

Com o mesmo cuidado que tive na hora de banhar esse corpo.

E ainda de 4 a levo para cama...

a conduzindo por uma pequena mecha de cabelo enrolada nos meus dedos.

Solto as algemas...

a coloco de joelhos e a amordaço com parte da minha anatomia enquanto amarro seus pulsos.

A deito.

Deito sobre o corpo nu e indefeso.

O corpo dela confinado pelo meu pulsa..

seus braços amarrados acima da cabeça...

todo o meu peso...

ela tem poucas opções de movimentos...

gosto assim.

Vou invadindo bem devagar...

bem devagar..

olhando diretamente nos olhos.

Gosto assim...

de olhar nos olhos....

e obrigar que olhe quem a está invadindo.

Depois...

pergunto como se sente...

ela responde...

devastada... detonada... consumida... invadida... violada... .feliz...

enfim...

plena.

Saio para trabalhar.

Ela fica esperando para cuidar do Dono...

sentindo o peso da corrente no tornozelo.

Fim...

por enquanto.

...

Chegada Chegada Reviewed by GLADIUS MAXIMUS on março 04, 2012 Rating: 5

15 comentários

  1. Em êxtase aqui...

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  3. Anônimo28.3.12

    Sem fôlego... Esperando por mais!!!

    ResponderExcluir
  4. Anônimo9.8.12

    Me sinto estranha por ter gostado disso...

    Márcia B.

    ResponderExcluir
  5. Bellachris27.8.12

    Nossa!!!Queria isso pra mim!!!

    ResponderExcluir
  6. Adorei, deste jeito que escreveu sinto como se fosse comigo mesma....
    Adoraria e star ali....

    ResponderExcluir
  7. Anônimo3.1.13

    Sortuda ela ;-)
    .:: Adoro expectativa... Li bem devagar, para aproveitar cada linha ::.
    Parabéns. Seus textos são sempre ótimos.

    CarmemCastelo

    ResponderExcluir
  8. é sempre assim.. a expectativa.. a vida em um só instante... é viver por cada gesto e cada suspiro.. o olhar pesado pelo desejo avassalador.. o morrer a cada segundo de espera.. para no próximo estante renascer com as promessas do imenso prazer de servir......

    ResponderExcluir
  9. e senti realmente devastada...

    ResponderExcluir
  10. Anônimo4.3.16

    Nossa!!! Morri mil vezes.
    Nem sei expressar td q senti.(SL)

    ResponderExcluir